https://www.poetris.com/
 
Mensagens -> Desabafo : 

Carta aberta

 
Onde anda o amor?

Onde andam os casamentos de prata e os de ouro, tão presentes no tempo do arroz de quinze, aqueles cujo lema era:

-" até que a morte os separe."

É sabido por todos nós que o casamento está em crise, as estatísticas são prova segura que casar já não é tradição, agora é mais tradicional a separação e consequentemente o ajuntamento de duas pessoas que se amam, pelo menos durante um mês.

Até eu, que pensei que tinha um casamento para toda a vida,com juras de amor eterno, entrei à socapa nessas estatísticas do INE, vou lá saber por que carga d'água fui bafejada com tamanha sorte.

Sorte e azar ao mesmo tempo, sorte porque as peúgas, o vinco bem feito nas calças,a comida a horas já não sou eu que a dou, nem a cama feita a modos, mas azar porque tenho que me arranjar sozinha, mandar arranjar o portão eléctrico que avariou, ou a bomba da água que está em greve, ou até mesmo a torneira que pinga, enfim, para não falar em emoções mais fortes.

Mas o que faz falta aos homens e mulheres que saem de casa e começam tudo de novo?

Filhos mais novos, afirmação de quê, quando sabemos que no fundo, a rotina virá mais cedo ou mais tarde, a falta de dinheiro irá surgir, os problemas laborais irão fazer parte do quotidiano...

É triste, mas vivemos numa sociedade tão acelerada, que nem nos damos conta que cada vez estamos mais sozinhos, mais cheios de problemas emocionais e transmitimos ao nossos filhos uma herança emocional tão pesada, com a qual não saberão viver e colocarão o casamento na borda do prato.

Será que o juntar dos trapinhos vingará na conquista da felicidade!


Carolina

 
Autor
Carolina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1124
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
41 pontos
31
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jaber
Publicado: 05/08/2008 18:30  Atualizado: 05/08/2008 18:30
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 2802
 Re: Carta aberta
Nada é eterno minha querida, esta sim é uma verdade imutável. A minha avó contava-me que um dia interpelou o meu avô por causa de uma suposta amante k ele teria...ela conta que ele lhe deu uma estalada que ela caiu da carroça. O casamento dela foi realmente até que a morte os separasse.
Um novo amor virá minha querida, não lamente a água que já passou nessa ponte, aspire por novas águas mais frescas e refrescantes.

Bjs


Enviado por Tópico
João Marino Delize
Publicado: 05/08/2008 18:44  Atualizado: 05/08/2008 18:44
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2008
Localidade: Maringá-
Mensagens: 2738
 Re: Carta aberta
Os casamaentos antigos davam certo porque no final do século dezenove até os anos sessenta do século vinte, aqui no Brasil, pois oitenta por cento do povo morava na roça e mais de 60% dos homens com mais de 50 anos ou tinham amantes nas cidades ou freqüentavam os bordéis nos fins de semana e suas esposas nunca sabiam ou se ficavam sabendo, faziam de conta que nãoo sabiam ou às vezes nem se quer admitiam a traição. Mas hoje as mulheres já não aceitam a traição, daí a maioria das separações. Há caso que também as mulheres traem e daí acabam os casamentos.

Gostei muito da sua carta aberta ou desabafo.

Saudações


Enviado por Tópico
Fhatima
Publicado: 05/08/2008 18:46  Atualizado: 05/08/2008 18:48
Colaborador
Usuário desde: 12/02/2008
Localidade: Joinville - SC
Mensagens: 3386
 Re: Carta aberta
Prezada Carolina!

Li a tua carta, e posso te dizer que aqui no Brasil também acontecem fatos da mesma maneira que o contaste. É o mundo do individualismo, as pessoas não doam-se mais, é certo que a paixão não é eterna, mas a convivência a doação, o companheirismo, todos esses fatores têm que ser levados a sério. Eu sou casada há mais de 30 anos.
São os valores que mudaram, penso que a educação mudou e até o amor se tornou descartável.
Carolina gostei de lêr-te sempre nos apresenta uma maneira diferente de enxergar além das doces poesias e sim a realidade que nos ronda!

Parabéns poetisa!

Beijos de luz!

Fhatima

PS: Já fui professora.


Enviado por Tópico
Alberto da fonseca
Publicado: 05/08/2008 18:47  Atualizado: 05/08/2008 18:47
Colaborador
Usuário desde: 01/12/2007
Localidade: Natural de Sacavém,residente em Les Vans sul da Ardéche França
Mensagens: 7113
 Re: Carta aberta
Por one anda o amor? A Carolina dê uma passeata até frança e verá onde ele está. Agora, pois que em tempos idos, ele não morava comigo.
Problema do casamento é um problema grave. Tenho-lhe que confessar que também pedi o divórcio.
De quem o problema? Meu? talvez! Dela! talvez! E duas vezes talvez dá divorcio.
Não creia que foi por gosto, mas por necessidade.
Qundo um casal que foi de pombinhos e deixou de ser, o melhor é sem dúvida o divórcio
O problema maior reside nas crianças, são os únicos que nada têm a ver com o assunto e acabam por sofrer as consequências.
Porquê digo que agora mora? Porque encontrei o verdadeiro amor e vivo sem problemas desde 34 anos a esta parte mesmo tendo uma diferença de idade, sente-se numa cadeira por favor. Está sentada? então aí vai sou mais velho 22 anos!
Mas que desgraça!, nas não é e somos imensamente felizes Gostei do seu texto, Carolina e não desespere, ainda vai encontrar um que a vai amar e que goste de fazer biscates,

Bjs poetisa
A. da fonseca



Enviado por Tópico
Julio Saraiva
Publicado: 05/08/2008 19:09  Atualizado: 05/08/2008 19:09
Colaborador
Usuário desde: 13/10/2007
Localidade: São Paulo- Brasil
Mensagens: 4206
 Re: Carta aberta p/Carolina
Carol,

Nelson Rodrigues, dramaturgo (o maior dramaturgo brasileiro), jornalista, cronista e autor de frases lapidares, imortalizadas até hoje, escreveu certa vez: "É preciso cinismo, mas muito cinismo para que um casal, qualquer casal chegue às bodas de prata." Ou ainda: "A maior solidão é a solidão a dois." Se mudássemos a frase - que considero um saco e mentirosa - "até que a morte os separe", que vem do conservadorismo da Igreja Católica, por outra," até que a vida nos separe", talvez fosse mais verdadeira e inteligente. A isto também podemos juntar os dois últimos versos do antológico soneto de Vinícius de Moraes, um expert em matéria de amores e casamentos - teve nove ao todo: "Que não seja imortal posto que é chama,/Mas que seja infinito enquanto dure." E olhe que ele disse isto em decassílabos, o que é não é para qualquer um.Gostei de sua crônica.

afeto,

júlio


Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 05/08/2008 19:10  Atualizado: 05/08/2008 19:10
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5046
 Re: Carta aberta
Texto suave para ler, descontraído e falando de uma realidade!Palmas pra voce!Merecidamente.


Enviado por Tópico
Pedra Filosofal
Publicado: 05/08/2008 20:16  Atualizado: 05/08/2008 20:16
Colaborador
Usuário desde: 17/09/2007
Localidade: Barreiro
Mensagens: 1279
 Re: Carta aberta
Na grande maioria dos casos o que se passa é que nenhum dos dois faz um esforço para se adaptar e à minima contrariedade optam pelo divórcio. Ou então escolhem ter filhos para "salvar" um casamento que está mais que morto.
Falo com algum conhecimento de causa, porque me divorciei do meu primeiro casamento, depois de diversas tentativas para que funcionasse.

Carol, as férias tão a fazer-te bem... tou a ver. Gostei desta carta aberta.


Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 05/08/2008 20:37  Atualizado: 05/08/2008 20:37
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: Carta aberta
Ao contrário da tua que carta que é aberta, o casamento é uma carta fechada, e ambas sabemos, todos nós sabemos, que no tempo do arroz de quinze, imperava nos casamentos o estigma da sociedade,e os casamentos tinham que prevalecer a todo o custo, mesmo quando a solidão era a dois. Felizmente que isso já não acontece no tempo do arroz a não sei quantos euro, hoje tal como sempre, há casos raros em o amor prevalece, no tempo seja qual for a safra do arroz.

o casamento não está em crise, o amor sim

Já não se morre de amor, morre-se por incapacidade de amar.

Gostei deste texto que promoveu o debate de ideias.

Beijo


Enviado por Tópico
Bruno Sousa Villar
Publicado: 05/08/2008 20:56  Atualizado: 05/08/2008 20:56
Super Participativo
Usuário desde: 09/03/2007
Localidade:
Mensagens: 122
 Re: Carta aberta
Sei disto. Por conhecimento de causa sei que o casamento arruína o amor de muitos relacionamentos.
Sem entrar em detalhes descritivos,sou testemunha viva do facto do casamento o meu pai se ter divorciado e por causa do casamento não sequer
pensar em voltar a casa.Nem no amor,sequer.
É triste mas a crise do amor vem de trás,bem lá atrás.


Enviado por Tópico
Karla Bardanza
Publicado: 05/08/2008 21:43  Atualizado: 05/08/2008 21:43
Colaborador
Usuário desde: 24/06/2007
Localidade:
Mensagens: 3491
 Re: Carta aberta
Carol,

O amor existe e o casamento duradouro também.Te entendo e sei o quanto é doloroso isso tudo que não sabemos como resolver...Mas, minha fada, creia as coisas vão entrar nos eixos e você vai ainda há de encontrar o teu próprio eixo.Paz e Luz para você!

Karla Bardanza


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 05/08/2008 22:53  Atualizado: 05/08/2008 22:53
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Carta aberta
O realismo da tua carta Carolina, transporta-nos para uma realidade inquietante, mas que temos que aceitar porque tudo acaba por sofrer mutações.
Os casamentos eternos são tão raros que raro... (infelizmente...) é quando eles são de facto para sempre, como idealizamos quando partimos para essa espécie de aventura que é o casamento.
Muito, muito interessante a tua carta e eu adorei lê-la.
Um beijo, Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 06/08/2008 00:11  Atualizado: 06/08/2008 00:11
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: Carta aberta
Por muito que nos custe, e mais custa a quem sofre na pele, é apenas um sinal dos tempos, no epílogo de um Civilização cruel, acente na mentira, na intolerância e na crueldade. Melhores dias virão.
Beijinho


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 06/08/2008 00:38  Atualizado: 06/08/2008 00:38
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: Carta aberta
Carolina,

O amor sempre chega mais cedo ou mais tarde, é preciso é estar atenta de mente aberta que o momento virá. Já o conto de fadas pode nem ser preciso.
Beijinho
Nanda


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/08/2008 01:55  Atualizado: 06/08/2008 01:55
 Re: Carta aberta
Amiga Carolina

Ouvi uma entrevista na Globo em que jóvem acham
como normal a separação e preferem pais separados.

Uma piadinha: um dia, encontrei um amigo no jardim, e perguntei: você está sozinho? Não, a minha aborrecida está sentada ali.

Beijos

Ulysses


Enviado por Tópico
Hisalena
Publicado: 07/08/2008 14:33  Atualizado: 07/08/2008 14:33
Colaborador
Usuário desde: 30/09/2007
Localidade: Leiria
Mensagens: 758
 Re: Carta aberta
Achei o seu texto corajoso, sincero e realista. Infelizmente as histórias de amor hoje em dia não acabam com "foram felizes para sempre"...
Ás vezes é melhor assim... quem sabe? talvez seja preferivel acabar com tudo do que viver a vida inteira a sofrer.
Desejo-lhe toda a sorte do mundo e quem sabe não encontra a resposta à sua pergunta "Por onde anda o amor?" em breve?