Poemas -> Saudade : 

Depois da Espera

 
Foi-se o tempo
De noites plácidas
E luas à flor dos telhados.
Foi-se o tempo
Eterno e dócil
Moldado pelos dedos claros do orvalho.

Foram-se também
As metas
Os corvos
E as glórias tão certas…

Foi-se o tempo

De espera e cinza nos terraços
De mar e borboletas…

Hoje…

Hoje não há silêncios
Nem momentos que possam em mim repousar…
Hoje
Dentro de mim
Há uma catedral só
Deitada neste frio
Que nem a Saudade
Habitou…

Hoje
Vieram em arma
Todos os prantos
Que o tempo
Ainda não sepultou…

 
Autor
Laura Gil
Autor
 
Texto
Data
Leituras
992
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
20 pontos
12
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 14/08/2008 11:46  Atualizado: 14/08/2008 11:46
Membro de honra
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11092
 Re: Depois da Espera
Laurinha,
Lindo o teu poema.
É preciso fazer o luto e ir em frente.
Bjs
Nanda

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 14/08/2008 11:50  Atualizado: 14/08/2008 11:50
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 10301
 Re: Depois da Espera
O teu poema é muito bonito, Laura. Comovente...
Realço a parte final que está simplesmente fantástica


"Hoje
Vieram em arma
Todos os prantos
Que o tempo
Ainda não sepultou…
Beijos, Vóny Ferreira"

Enviado por Tópico
Andy
Publicado: 14/08/2008 11:51  Atualizado: 14/08/2008 11:51
Membro de honra
Usuário desde: 01/08/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1998
 Re: Depois da Espera
...Laura, a sua escrita transmite sempre uma multidão de Sentimentos! ...tristes, estes que transmite, neste seu belo poema, que é duma profundidade imensa, chega a fazer doer quando se lê! ...muito bom!


bj

Enviado por Tópico
jessé barbosa de oli
Publicado: 14/08/2008 13:16  Atualizado: 14/08/2008 13:16
Da casa!
Usuário desde: 03/12/2007
Localidade: SALVADOR, Bahia
Mensagens: 334
 Re: Depois da Espera
É, ÁS VEZES,
A SAUDADE NOS PRENDE A UMA
ESPIRAL LABIRÍNTICA,
TORNANDO A NOSSA LIBERTAÇÃO DIFÍCIL E PUNGENTE.
NO ENTANTO, PENSO QUE POR MAIS QUE ELA
SEJA DURADOURA E TRAUMÁTICA,
SEMPRE ACHAMOS UM JEITO DE, AO MENOS,
AMAINÁ-LA.

Enviado por Tópico
Carlos Ricardo
Publicado: 14/08/2008 13:22  Atualizado: 14/08/2008 13:22
Colaborador
Usuário desde: 28/12/2007
Localidade: Penafiel
Mensagens: 1801
 Re: Depois da Espera
Laura,

Um belo poema.
Abraço.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/08/2008 13:44  Atualizado: 14/08/2008 13:44
 Re: Depois da Espera
Tão perfeito como a lua.
Abraço
Anne

Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 14/08/2008 14:17  Atualizado: 14/08/2008 14:17
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4420
 Re: Depois da Espera
Belo poema poetisa, mesclo de sentimentos vários...

Vieram em arma
Todos os prantos
Que o tempo
Ainda não sepultou…

Depois da espera, permanece a saudade delicerante..

Beijinhos Laura
Tudo de bom para ti

Enviado por Tópico
RaimundoSturaro
Publicado: 14/08/2008 15:25  Atualizado: 14/08/2008 15:25
Da casa!
Usuário desde: 11/04/2008
Localidade:
Mensagens: 205
 Re: Depois da Espera
Um tanto triste este poema, o que o torna ainda mais bonito e sublime.

Abraços!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/08/2008 15:34  Atualizado: 14/08/2008 15:34
 Re: Depois da Espera
Talvez não seja o tempo que deva sepultar...Lindo poema...adorei ler. bjo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/08/2008 16:27  Atualizado: 14/08/2008 16:27
 Re: Depois da Espera
«Despedida

Colhe
todo o oiro do dia
na haste mais alta
da melancolia.»

Eugénio de Andrade

DM

Enviado por Tópico
Paulo Afonso Ramos
Publicado: 14/08/2008 17:41  Atualizado: 14/08/2008 17:41
Colaborador
Usuário desde: 14/06/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2080
 Re: Depois da Espera
que pedaço de emoção é este poema.
uma marca bem assumida
um beijo

Enviado por Tópico
elisabeteluisfialho
Publicado: 14/08/2008 19:55  Atualizado: 14/08/2008 19:55
Da casa!
Usuário desde: 01/07/2008
Localidade: Alcobaça
Mensagens: 464
 Re: Depois da Espera
Gosto muito de ler seus poemas.
Mas neste sou obrigada a perguntar,qual o tempo para sepultar a dor?
Digo isto porque quem escreve da forma que escreveu este SENTIR, sabe bem melhor que eu que somente podemos aprender a viver com a dor...nada mais
Um sentido abraço