https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Incertamente

 
Tags:  saudade    dor    morte  
 
Que dor é esta no meu peito,
Este aperto amargo
Que me faz vomitar
Palavras azedas
Sem restrição de sabores?

Que saudade esta
Do que nunca terei,
E que lembranças
De sonhos,
Que em vez de aliviarem,
Me atormentam…

Que voz é esta
Que reclama as lágrimas
E nada quer com a alegria
Com que me cubro falsamente?

Que vontade esta
De cobrir a cabeça
E esquecer que existe
Tanto...
Desejar a morte
Em pranto...
 
Autor
Vera Sousa
 
Texto
Data
Leituras
885
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
9
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 04/09/2008 20:24  Atualizado: 04/09/2008 20:24
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1592
 Re: Incertamente
Muitas reflexões...
A saudade tem destas coisas: veste-se de uma importância indevida.
A tristeza é só mais um lugar para onde vamos ou nos levam...

Tudo passa... Culpa do tempo.

Beijos.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 04/09/2008 20:48  Atualizado: 04/09/2008 20:48
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: Incertamente
Se não é a sórdida matemática existêncial...não sei o que é.


´Beijo

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 04/09/2008 22:24  Atualizado: 04/09/2008 22:24
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14956
 Re: Incertamente p/ Vera Silva
Querida Vera

A saudade é assim, doída
aperta o peito e os olhos
molham derramam lágrimas
que as vezes consolam...
Belo poema

Beijinhos no coração

Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 04/09/2008 23:21  Atualizado: 04/09/2008 23:22
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4527
 Re: Incertamente
Saudade é isso amiga, doí que se farta...

Ficou belo o teu poema poetisa

Beijinhos Vera
Tudo de bom para ti amiga

Enviado por Tópico
fogomaduro
Publicado: 05/09/2008 15:56  Atualizado: 05/09/2008 15:56
Colaborador
Usuário desde: 06/08/2008
Localidade:
Mensagens: 1478
 Re: Incertamente
A morte não
se deseja.
A morte vem.
E o amor,
amor quando
solfeja,
está morto
por viver
de amor/ também.

DM

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 05/09/2008 17:11  Atualizado: 05/09/2008 17:11
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: Incertamente
Poema forte, amiga!
Intenso e belo como são
os sentimentos verdadeiros.
Gosto sempre e muito.

Beijos daqui!

Amora

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/09/2008 17:53  Atualizado: 05/09/2008 17:53
 Re: Incertamente
Belo poema.

Com poucos elementos criste um mundo.

Poucos conseguem.

Abraço enorme como um mundo, um que queiras escolher.

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 05/09/2008 18:13  Atualizado: 05/09/2008 18:13
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Incertamente
Verinha,
Momentos de desalento em que o sol não entra.
Mensagem bela e forte.
Beijinhos
Nanda

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/09/2008 23:00  Atualizado: 05/09/2008 23:00
 Re: Incertamente p Vera Silva
Vera Silva,

Seu poema "Incertamente" traduz-se numa inquietação do eu-lírico. Inclusive, entre os seus escritos últimos, esta característica tem sido vista, denotando maturidade poética, ou seja, o saber colocar além do ritmo e motivo poético as figuras de palavras e pensamento na medida correta ao teu sentir: Nesse poema de quatro estrofes está, ao meu ver calcado tudo que o eu-lírico sente e por isso sofre e geme na segunda estrofe. É a Saudade que desencadeia a dor no peito, o tormento do sonho, a voz (ótimo recurso auditivo) e avontade, que vai até as raias do extremo, o desejar morrer , que suplanta todo o sofrimento que gera.
Portanto é um poema de tendência a inquietação, que o faz denso e maduro, além da grande virtuosidade verbal que lhe é peculiar.
Parabéns, beijos e saudações de Godi.