https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Soubesse eu que eras ténue!

 
Tags:  amor    vida    tempo    noite    lua    água    momentos  
 
soubesse eu que eras ténue!
brisa dos cinco elementos.
formada no rompimento dos tecidos humanos
ou em desejos momentâneos.
já idos! em Março.

vislumbrei-te sem halo.
intacta!
como a lua despida ao Outono.
e aceitaste-me com um sorriso de estrelas.

foi no hausto do instante,
inebriado pela miríade dos sentires,
que me deixei,
despercebidamente, sucumbir.
o tempo foi-se, exausto.
e nem sequer, os teus lábios provei.

Soubesse eu que eras ténue!
mas não soube.
e despojando-me das vestes artificiais,
fui pregar às areias do vento.

o voo das aves corria no fluir das lágrimas
ou na força vital que pulsa nas artérias,
e foi nas águas do deserto
que reencontrei a dupla hélice da vida.

a lembrança? deixou de estar corrompida.

falhei o teu breve partir.
mas sei-te ténue, sei-te minha.
no profundo das sequóias vermelhas.

in Comentários na face da Noite


Vicente Ferreira da Silva

 
Autor
VFS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
902
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
1
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 06/01/2009 16:56  Atualizado: 06/01/2009 16:56
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Soubesse eu que eras ténue!
A vida é feita de instantes, pequenos, preciosos... E por vezes pensamos que duram mais e não os aproveitamos devidamente.
O poema é de uma genialidade atroz e vai directo aos meus favoritos, para reler, reler, reler...

Beijo grande