https://www.poetris.com/
 
Textos -> Amor : 

violência cor-de-rosa.

 
Tags:  violência doméstica  
 
hoje acordei e vi mais umas destas manchas roxas que me marcam a pele sempre que chegas a casa com esse teu odor nauseabundo a vinho.
hoje acordei e senti uma raiva negra no meu corpo, quis desfazer-me de todas as tuas peças, de todas as tuas memórias, de todos os teus gestos.
fui capaz de pegar em mim e fugir dessa tua violência que me prega lágrimas na cara sempre que te vejo, à janela, a vir direito a casa para um jantar que nunca te faço.
és o frio que nunca veio para me aquecer.
amo-te, perdoa-me este nome. e pelo amor sou capaz de me esconder atrás de todas estas marcas que me deixas na carne, se algum dia me matares… eu direi que morri por amor.


les fleurs mortes.

 
Autor
Fleur
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1849
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/09/2008 08:29  Atualizado: 11/09/2008 08:29
 Re: violência cor-de-rosa.
Não entendo como alguém pode amar assim um ser humano...será amor ou medo que move mais uma nodoa negra?

bjs
ConceiçãoB


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/09/2008 22:19  Atualizado: 11/09/2008 22:19
 Re: violência cor-de-rosa.
Como os sentimentos são tão antagónicos...
E, no entanto, quanta paixão emana do teu poema!
Muito profundo... e sentido...

Beijo