https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Sem palavras

 
Sinto falta das tuas poucas palavras.
Aquelas palavras a que me habituaste,
mesmo quando teimavas numa ausência
dias e dias completamente seguidos.

Se me sentar sobre as frases guardadas,
consigo ouvir as expressões que deixaste
cravadas nesta alma inflamada de demência.
Não consigo ocultar os sentimentos feridos.

Rasga-me as folhas pintadas em mil pedaços
e torna-as num monte claro de dissolvido pó.
Não precisas mais de voltar com os teus traços.

Quando eu for tocada pelo bafo da morte,
não quero que regresses com qualquer dó.
Pensa apenas que foi uma questão de sorte!
 
Autor
Tytta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1553
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
5
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
SofiaDuarte
Publicado: 08/01/2009 21:03  Atualizado: 08/01/2009 21:03
Da casa!
Usuário desde: 19/12/2008
Localidade: Portugal
Mensagens: 325
 Re: Sem palavras
Gostei bastante

Parabens

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 08/01/2009 22:09  Atualizado: 08/01/2009 22:09
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12083
 Re: Sem palavras
Um soneto que me deixou sem palavras

Beijos

Enviado por Tópico
Antónia Ruivo
Publicado: 08/01/2009 23:54  Atualizado: 08/01/2009 23:54
Colaborador
Usuário desde: 08/12/2008
Localidade: Vila Viçosa
Mensagens: 3906
 Re: Sem palavras
Maravilhoso o seu soneto de uma profundidade tal que comove, beijinhos

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 09/01/2009 14:33  Atualizado: 09/01/2009 14:33
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Sem palavras
Saudades de te ler Tytta!
Um soneto lindíssimo e que me deixa a mim sem palavras...

Um beijo grande

Enviado por Tópico
AntóniodosSantos
Publicado: 20/01/2009 22:23  Atualizado: 20/01/2009 22:23
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1005
 Re: Sem palavras
Um lindo soneto...parabéns...gostei muito...

Com carinho do Amigo

António dos Santos