https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sociais : 

Preto Velho

 
Tags:  JUNHO 1993    SALBADOR-BAHIA    VISITANDO O BRASIL  
 
Miséria coisa triste
sufocante, anti-solidária
saber que mãos calejadas
nunca teve, nunca terá nada.
Saber que velho preto
trabalhou toda vida
desde cedo
e não possui nada
além de um barraco na invasão
uma mulher, muita preocupação
e vários filhos degenerados.
Tanto suar (que não lhe valeu de nada)
preto velho também tem
uma televisão colorida
um radinho de pilhas
muita fome
vários sonhos mofados.
Tristeza maior
é saber que mãos gêmeas, calejadas
em outros paises
tem vida adequada.
O suor de tudo vale
e a mão cansada
não tem vergonha de ser e dizer:
“Sou pião! Porém bem remunerado.”
Ate vagabundo
vive na mordomia
tem ajuda do governo
dinheiro, casa, comida.
Triste é ser nativo-turista
num pais de terceiro mundo
(em desenvolvimento democrático-capitalista)
aonde chegamos de visita
tentando consertar tudo.
Num lugar onde a ignorância
reina com soberania (sabedoria para os políticos)
e a democracia (semi-falida)
é mais uma utopia.


Rosilene S. Adams

 
Autor
Rosilene
 
Texto
Data
Leituras
2457
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.