Poemas : 

Crise

 


Já acrescido de algum processamento
Fica registado o pensamento,
A memória; a imagem.

E quantas foram?
Fotografadas a uma velocidade frenética.

Registado ficou
O teu olhar…
O teu queixo vincado,
Virginal.
O teu ar intocável:
Inocente.

Favorecia-me por vezes o Sol
Iluminando o reflexo da tua face.
Momento… a… momento.

Uma viagem infernalmente celestial
E também o seu inverso.

Gratidão, plenitude.
Submissão.
Mais perto, mais longe… novamente.

E os pormenores
A imperfeição perfeita do teu ser.
A coragem, a sua falta.
Tua e minha
Que vi os teus soslaios
(Ou imaginei-os? Forcei-os a existir?)

A vontade de te tocar
Ainda que subtilmente.

09/03/2007
 
Autor
Hugo Cabelo
 
Texto
Data
Leituras
657
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.