https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Gula - O Menu da Gula

 
Tags:  pecados    gula  
 
O Menu por favor!

Ora vejamos…
Pode ser uma dose disto
Com uma salada daquilo
Meia desta e outra daquela.
Oh! Um momento.
Este prato que passo agora é o quê?
Ah! Então mais meia disso.

Para Beber?

Para beber, foi o que disse?
Hum… um jarro? Dois de tinto com gasosa!
Sim Sangria. Mande lá também água,
Sumos de laranja, cerveja…
Ah não tem garrafa!
Então um fino, um penálti, um pinochet.
Hum que bom…



Sobre a mesa pode vir a doçura dos argumentos
Torres de Babel, Barrigas de Freiras,
Pecados divinais, gelados flitos,
Sabores quentes, frios e semi-frios.
Fruta, café e cheirinho.

Hum… o que posso mais pedir?

Que tal uma taça de sede,
Um prato de fome
Ou um cheiro de miséria?


Isso não!
Pensa que eu sou o quê? Um glutão?


P de BATISTA

Sei que é um panaché, mas num diálogo sai sempre um Pinochet...

O gelado frito, claro está. (mais uma que sai num diálogo)
 
Autor
Batista
Autor
 
Texto
Data
Leituras
785
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.