Poemas : 

Ai as horas...

 
Não tenho a certeza o que aconteceu.
Mas sei o que eu vi.
Quando despertei.
Vi que estava bastante atrasado….

Ai as horas…

Estou atrasado.
Estou super atrasado.

Ai as horas…
Estou mesmo,
Em cima de picar o ponto…

De picar o ponto para o resto do dia!
Toca lá a despachar, ok…
Mesmo no limiar do tempo,
Para seguir caminho.

Ai as horas…
Duche tomado.
Ai as horas…
Levo iogurte
E a torrada pelo caminho.
Onde estão as chaves? Cá estão elas.
Quem me dera a mim que o Sol
Volta-se trás antes de passar
Aquele limite de horizonte…

Bolas….
O trânsito está um caos.
Quero seguir em frente, mas só há uma faixa em mão.
O que aconteceu?
Parece que todo o mundo está como eu
Sejamos honestos,
Estamos atrasados que nem um chuchu…

Vamos ver se o resto do dia,
Me corre melhor,
Bem melhor,
Porque este limiar de tempo de hoje
Nem vi o que raio fui vestir
Para mai’ logo, sair.

Ai as horas…
Ai o trânsito!
Ai que isto está muito bera!
Estou quase a me passar com este trânsito…
Está tudo com o mesmo ritmo que eu
Porque o despertador não tocou…
E eu não acordei
… ai as horas…
… ai as horas…
Estou atrasado…
Dá-me uma abébia
Que o patrão não chegue a tempo,
Que isto hoje está muito difícil.

Quase a chegar…
Estacionar, acabar de beber a torrada…
E ao longe um certo carro a virar a esquina!
Toca a entrar
E picar o ponto!

Ufa! Cheguei a tempo…


P de BATISTA

 
Autor
Batista
Autor
 
Texto
Data
Leituras
3061
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.