https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Não me ergo, levanto-me

 
Eu não me ergo, levanto-me
quem se ergue sempre caiu
e eu puxo por mim,
agarrado ao desejo férreo
de me ver elevado
por cima das vicissitudes
e à margem da agonia,
caçando alívios e suspiros
de uma estirpe sem raça.

Eu não me ergo, renasço
resgatado de um passado verve
não me estranho, nem entranho
bebo a sede de viver, indígena
não quero desperdiço nem fúteis cores,
amorfas audácias, mordaças
quando me despertar para o amanhã
que me adorna o olhar…
… no capim do dia seguinte.

Eu não me ergo, levanto-me
quem se ergue não caiu, ruiu
e eu levanto-me, persigo-me e expio-me
até encontrar o sossego que me adensa e foge…
 
Autor
José António Antunes
 
Texto
Data
Leituras
938
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
3
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 12/08/2009 12:42  Atualizado: 12/08/2009 12:42
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: Não me ergo, levanto-me
Oi poeta,

Quantas vezes somos nós mesmos que nos damos a mão e nos forçamos a levantar "até encontrar o sossego que adensa e foge..." Lindo poema com metáforas maravilhosas. adorei!

Maria verde

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 12/08/2009 22:25  Atualizado: 12/08/2009 22:25
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12085
 Re: Não me ergo, levanto-me
Um poema sublime com metáforas muito bem construidas.

Muitas vezes temos que nos erguer nas força ocultas do nosso profundo viver...

Beijos

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 13/08/2009 14:17  Atualizado: 13/08/2009 14:17
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: Não me ergo, levanto-me
Gostei muito da mensagem do seu poema. Há que se ter coragem para se autoconhecer. Um ótimo dia pra vc, José.