https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Ex-Ricardo

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Ex-Ricardo

- O Início de Mim -

 
Quero ouvir-me na tua boca.
Quero ter por língua a tua voz por escrever!

Se não o dissemos quase não chegou a existir!
O que não dizemos não faz falta!
Mesmo os nossos nomes...

A palavra mudará,
e eu mudarei com ela...

No dia em que se der o meu início,
nem eu cá fico...

Serei o guardião dos dias que não vivi...

No início de mim serei o único que por cima de mim me sento, por cima de mim me vejo...

Só por cima de mim me sinto!

No início de mim caminho dentro de mim ainda,
até ao dia em que nasci...

No início de mim serei meu Santo, meu Santo...

No início de mim não haverá nada...

Nem norte, nem sul...
Nem direita, nem esquerda...

Acima de tudo no início de mim não haverá gente...

No início de mim que me abram os olhos com que vos dormi...
E diz-me, diz-me muitas vezes: dito por ti soarei melhor!
 
- O Início de Mim -

- Trazes-me o Mar -

 
Trazes o Mar nas pernas.
No teu leito um Rio apenas.
Traz-me o Mar e deita-o ao lado de mim.

Embala-me a vida...
Desagua o Rio que trazes até ao alto Mar de mim!

Marca-me muito!
Na pele deixa-me o rasto
...de todos os Rios...
... de tudo que no teu corpo corre...
... até mim!
 
- Trazes-me o Mar -

- Fome -

 
Um dia sentei-vos dentro de mim
e disse: - Tenho Fome!

- Tenho Fome!
E dentro da minha fome encontrei o amor:
o amor que, não sei porquê, tenho rejeitado
em cada um dos meus dias...

Sinto-me invadido por uma profunda divida:
Quero dar!
Tenho uma profunda necessidade de dar!

Sinto-me só:
Na luz que não trago.
Nas mãos que nada possuem,
dos corações em que não entro...

Quero dar:
Para todos quero ser a salvação que não sou para mim.

Posso ser já e aqui: ou posso continuar a ser este ano!
Um noivado, um funeral...
Não importa!
Só importa esta necessidade de me partilhar!

Sou quase o mendigo cuja mão ficou,
só a mão ficou...

Tenho Fome!
Tenho necessidade de espalhar esta fome!
Acredito assim inaugurar-me...

- Mas eu já tenho tudo. - disseste.
Mas não era isso...
Expliquei-te então a minha fome.
Eu quero dar!
Não importa o quê.
Não importa a quem.

Sentaste-te então meu lado...
e tiveste fome comigo.
 
- Fome -

- Nu-

 
Estou Nu à tua boca,
à porta do teu corpo,
sou o caminho que farás esta noite até à boca de mim...

Tenho luz na boca,
tenho as mãos na tua noite,
sou o que quiseres lembrar de mim...

Dos teus lábios sou a sombra,
ao teu corpo trago a noite,
fecho a luz e dou-te a sombra de mim...
 
- Nu-

- A Perseguição -

 
Dança morena! Dança morena!
Tenho uma bala na voz...
Dança morena! Dança morena!
Do alto da boca...
Dança morena! Dança morena!
O corpo promessa...
Dança morena! Dança morena!
Teu corpo de cor...

És a culpa... minha não...
És pecado e absolvição...
Atrás de ti, ou talvez não...
Deixas o caminho... Para a Perseguição...
 
- A Perseguição -

- Animal -

 
Mulher: Lugar onde erro!
Espaço de perdição!
Templo em que me abandono...

Ela move-se e nada mais importa...
Toda ela é Sentidos,
Tudo nela é destino...

Ela fala e eu só ouço viagens...
Toda ela é Sentidos,
Tudo nela é destino...

Mulher: caminho sempre e sempre por fazer...

És chão... meu País de carne...

Jogo: em que sempre perco!
Rua: em que me perco!

Os seus olhos são flores:
sempre e sempre por colher...
... e é assim que os deixarei permanecer...
 
- Animal -

- Tanta -

 
E é ver assim: com o mar nos olhos.
E não ter onde os desaguar...
E é ver-te assim: enquanto o mar me olhas.

Tanto tentar ,
e Quero Tanto!

Apaguem essa luz!
Calem o mundo!
Recolham as vozes...

Não há lugar no mundo onde possa, esta noite, desaguar...
 
- Tanta -

- Espero-me -

 
Só o Sol me fala.
Tenho estado no lado errado da minha cidade.
Só ao Sol me falo...

Prometo-me e nada acontece...

Hei-de dançar-te em Sevilha ainda esta noite- desespero...

Hei-de estar nas tuas mãos por mais do que uma hora - sussurro-te...

Espero-me...
Fujo-me...
Esbanjo-me...
Apodreço...
 
- Espero-me -

-Tuas Pernas-

 
Tuas Pernas são uma promessa,
e prometo que no inicio delas nos hei-de cumprir...

Hei-de as percorrer e encontrar o mar. Teu vasto mar, teu santuário salgado.

No Porto das tuas pernas hei-de desaguar todos os meus rios,
Hei-de jurar-te flores...

hei-de também rezar-me ai, mesmo ai,
à entrada do mundo... à entrada de ti!
 
-Tuas Pernas-

- Mau -

 
Eu tinha o coração cheio de moscas!
Estava cego...
Tive o medo de quem usa o corpo!

- Viver é ter vertigens...

Eu delirava porque não tinha fim...

- Ser grande é não ter fim!

Os desertos não se escolhem!
A vida não é feita só de opções!

E vi o vício, esse animal que beija...
... E vi-o partir.

- Viver é ter vertigens!

Então sonhei matar o meu público:
e fui livre...

Mas eles não percebem, não percebem...
Às vezes morremos pelas qualidades que temos...
 
- Mau -

- Veste a Boca de mim -

 
Espera-me
Como ao fim de uma dor…
Quase a noite
Água, corpo e odor…

Sê a rua
Que vai do mundo até mim
Ou a música
Das coisas sem fim

Veste veste
Veste a boca
Com a minha
Tão aqui
Veste a boca
Veste a boca
De vermelho
Ou de mim...
 
- Veste a Boca de mim -

- Luto -

 
Sou feito de luto.
Estou quase de partida.
Depois de mim ninguém chega.
Sou esta estrada que não acaba,
que não acaba,
que não acaba...

Deu-me um pouco de tudo.
Deu-me um pouco de nada.
Deu-me um pouco de mim.
Deu-me um pouco da estrada,
que não acaba,
que não acaba...

Abro as portas de mim,
deixo metade do corpo,
em que...

Em que me pertenço,
em que me resgato,
em que me assalto,
me assalto,
me assalto...

E não acabo...
E não acabo...
E não acabo...
 
- Luto -

- Cães -

 
Soltam-se os cães nesta estrada rouca...
Soltam-me os cães dessa mão tão pouca...
Cães que me caiem à porta da boca...
Nesta estrada de pão...

Nesta Rua Não!

Correm salivando coisas que não vejo.
Coisas que lhes ouço, mas não lhes vejo.
Não vou fugir!
Não me vão calar!
Porque sendo eu um homem,
e esta estrada sendo,
em nada minto,
em tudo me entendo...

Cães que me mordem a cabeça,
Cães que latem neste sol que carrego e tanto me pesa...
Cães no meu pão!

Ouço filhos no meu amor e basta-me!
São Rosas o que lhe ouço dos olhos...
Ela Sonha...
E quando ela sonha eu sonho também...
E basta-me!

De tudo o que no tempo sou...
Por tudo que no meu corpo me perde...
Cães nos lábios que não conheço,
enxoto do coração que não me pesa!

E basto-me!
Eu... basto-me!
 
- Cães -

- Proibido fumar -

 
Vivo num lugar estranho.
Vivo um tempo Surreal.
Vejo ditaduras substituírem ditaduras.
Num mundo onde cada vez temos de ser mais iguais.

E é de medo que se alimenta esse mundo!
Com medo consumimos:
E é o consumo o novo Deus que se impõe.

Todos os dias tentam vender-nos um Apocalipse qualquer:
A gripe das aves!
O iminente ataque terrorista!
O cometa que está quase a cair sobre nós!
Os glaciares que nos hão-de engolir a todos...
A nova era glaciar que não tarda!
O vulcão!
O Furacão!
O medo...

A violência dos media é nossa amiga!
O big brother não nos roubará a privacidade!
E pelo nosso bem que estes policias morais se batem!
E no entretanto consumimos.
Consumimos o que podemos e o que não.
Consumimos como se fizéssemos um amigo!
Consumimos pela nossa própria salvação.

Sozinhos cada vez mais sozinhos...

Vivo num lugar pequenino, que não é bem uma ilha, mas mete água por todos os lados:
Mais uma vez a imitar o mundo que apodrece.
Mas só no que lhes interessa...

Não fumarás!- dizem-te!
E eu, que devo ser burro, não entendo.

Pela saúde pública?
Mas, não é o petróleo que está a adoecer o mundo?
Não é o stress em que vivemos na ânsia de ter mais, mais e mais que nos mata?
Não é a água contaminada que nos envenena?
Não é o amor que não nos temos que nos entorpece?
Não é geração do meu avô que fumava, bebia álcool e comia enchidos a que mais viveu até hoje?
hum... Devo mesmo ser burro...

Pelos outros que não fumam?
Mas isso não se resolveria criando espaços para o efeito?
Vejo ditaduras serem substituídas por outras ditaduras...

Acendo a televisão: o telejornal diz-me que uma nova catástrofe se aproxima.
Abro a janela e vejo o mundo azul...lindo e imponente!
E sonho, e sonho, e sonho...
Estarei enganado?

...

Não fumes!
Veste roupa igual à que alguém comprou num shopping a 10000 kms de ti!
Não penses!
Não questiones!
Vê todos os telejornais!
Não comas carne!
Acima de tudo tem medo! Tem muito medo!

E assim, para gáudio do povo, serás mais um entre todos os outros. Igual entre os demais!
Serás Aceite!!!!
Congregado pela hóstia da moral dos iluminados!

Entre os teus... ficarás na história... como pertencente à geração que dorme!
A que diz sempre sim!
Mesmo quando nem sabe a pergunta...
 
- Proibido fumar -

-Jardim do Medo-

 
E eu disse-lhe:
-Enquanto adiares os dias, não haverá tempo sobre a terra! Porque não gritas? Completa-te!
Assume-te!
Encena um suicídio...
Sorri... daqui para a frente são só desgraças.
Quando te chamam louca, não hesites: puxa o gatilho!
...Puxa o gatilho... e ainda te sobrarão a música, o álcool e o revólver!

Ela queria uma mão para agarrar e não a encontrava...
Desmaiada enquanto vivia...
Para sempre desmaiada!

-Que importa se respiro? se não te respiro a ti?

Ela queria uma mão para a agarrar e não a encontrava...

Ela tinha a vida e as mãos demasiado perto do revólver... e do coração...

Estava embriagada pela sua própria dor...
... inacessível, por a tantos outros ser acessível...

...

Nesses dias fui rezado todos os dias,
enquanto preparava as redes, eles preparavam os medos...
Assim morri ao terceiro dia...

...

Muito perto de mim ainda todos se querem partilhar, ainda todos têm algo a dizer...
Com tantos sóis não precisam de optar.
Eu, como um barco à deriva, de porto em porto, de boca em boca, ainda continuo a sonhar com uma mão...

Eu que só queria uma mão para a agarrar... Eu...
Eu que já não sou meu, sou dos que rezam por mim...
 
-Jardim do Medo-

- Ou Não-

 
Adio a minha presença aos teus olhos.
Em verdade nego aos teus olhos o prazer que não terias por deixar de me ver.
Deixo-te a herança do que eu poderia ser...

Na verdade sei de Flores que não existem, e não é por isso que as deixarei ou não de desejar...

Às vezes desistir não significa negar.

Seremos uma hora atrasada!
Um comboio que se perdeu!
uma vida que se saltou!

E no entanto desejo os olhos que não me chegaram a ver!
E no entanto...
 
- Ou Não-

- À Mesa do Mundo -

 
Sou a ponta da espada, e o peito em que crava,
sou daqui e dali, sou de terra alguma,
de papel e de sangue e de coisa nenhuma,
sou Anjo, ou água, ou...
O que sou?

Tenho o norte e o sul,
mas não tenho abrigo.
Sou de sonho e de estrada!
Futura e Passada...

Sou a ave que fica no céu que já não está,
Mas sou chão, sou de chão...
Sou Santo e sou mão!

Animal mais antigo, palavra de abrigo,
Boa Nova, sou pão, sou um sim e sou um não!
Quem sou, quem sou?...

Sou daquela e da outra e nem de mim sou,
sou tão pouco mas tão longo...

Sou a mesa do mundo!
 
- À Mesa do Mundo -

- Erro -

 
Nunca serei totalmente teu,
porque nunca serei totalmente meu...

Sou um erro, e errando me evito: evitando-me nunca serei meu...

Sou um Sonho,profeta,Louco,Vidente,Fantasma, Santo,Anjo,Promessa,Porvir...
Sou o que quiserem ver em mim...

Não tenho família, Sou em estrangeiro entre os meus...

Nunca serei totalmente meu e nunca serei totalmente teu...

Estou no Futuro ou no passado,
à frente ou atrás...
Estou onde me quiserem ver...

Nunca serei totalmente teu,
porque nunca serei totalmente meu...

Mas posso velar por ti, vigiar-te os sonhos, mesmo à noite, quando nem dás por mim, lá estarei,em cada esquina onde aconteças, olhando-te, velando-te, suspirando por ti...
 
- Erro -

- Calendário -

 
E o meu calendário a ceder
E o cavalo a correr
Na memória a esconder
E a cabeça a pender

E o tempo a escorrer
A idade a escolher
A Vida a temer
E as raparigas a perder

Incendeio a boca e meço a mão.
Esqueço o sangue e o coração...
Inauguro a hora: Recolho o corpo...

...Meu berço ao vento!
 
- Calendário -

- Ex- Mim -

 
Todos os amigos partiram:
O meu corpo ficou assim, para sempre, inacabado...

Que sorte será a daquele que procura o que já achou?
Porque busco paz se nasci guerra?

Partida que não acontece,
Corpo mais do que adiado,
Nem sei como me hei-de querer!
Afinal de que serviria resumir-me?

Todos os amigos partiram...
... e eu não aconteço.

Urge pensar-me.
É urgente que escolha a idade que mais me convier!

Hei-de ser a antecipação do Amor!
Hei-de herdar-me a mim próprio!
Hei-de acontecer!

Hei-de vestir-me como o povo!
Hei-de inventar corações a cores!
Hei-de ser popular!

Hei-de voltar!
Hei-de acabar o meu corpo!
Hei-de acontecer!...
 
- Ex- Mim -