https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens sobre tristeza

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre tristeza

COPA DO MUNDO SHOW DE EMOÇÕES! [2]

 
COPA DO MUNDO SHOW DE EMOÇÕES! [2]
 
A Copa do Mundo
É um universo de emoções...
É a junção de um sonho,
Paixão e amor pela pátria amada;
Que é enaltecida através do futebol.
Esse conjunto que reúne nações...
Faz-se diferenciado de todas as modalidades
Esportivas dentre outros mundiais...
A nacionalidade, o amor de um povo por sua pátria é imensurável.
Aonde o sangue corre em suas veias.
Essa corrente de força unida fala alto aos corações,
Pois existe o amor de almas, mesmo que sejamos
Contra os desatinos de seus governantes...
Pausamos para então:apreciarmos um grande espetáculo
De raça, garra, luta e determinação.
Até mesmo de cenas que nos parecem
Quase impossíveis quase milagres...
Num arranque de força e limitação humana acontece o gol
Tão esperado para se fazer ecoar o grito preso na garganta.
Dessa forma a Copa torna-se o maior espetáculo do mundo;
Aonde os jogadores reinam como gladiadores diante de uma arena eufórica.
São craques numa harmonia tal qual uma orquestra cheios de maestria...
Pés dourados valsam: através de toques sutis dribles perfeitos...
Acompanhados de um coral em seu esplendor... (Sua torcida)!
Aos nossos olhos algo bonito de se ver, tão fantástico que ficamos estáticos
Boquiabertos, olhos arregalados, o coração... Tum,tum... Fascinados pelos feitos
Da bravura dos atletas que, nessa hora torna-se ilimitado em suas habilidades...
Entretanto são os mesmo pés que fazem as lágrimas rolarem sejam de alegrias e /ou
tristezas entre perdedores e vencedores!
COPA DO MUNDO SHOW DE EMOÇÕES!

Texto escrito para o concurso!
 
COPA DO MUNDO SHOW DE EMOÇÕES! [2]

**Volte borboleta machucada**

 
**Volte borboleta machucada**
 
Borboleta machucada...
Que de voar já se cansou
Volte aonde é amada,
Que seu amor o vento levou!

Não quero te ver triste,
E seu brilho se apagar...
És tão linda! Não desiste
Outro amor vai encontrar!

Volte, borboleta vem
A bela flor te espera...
A tristeza não convém
E logo será primavera!

Tu mereces a felicidade
Em um lugar encantado
Volte e terá a liberdade
Neste jardim iluminado.

I Will Take You Forever

"A alma é uma borboleta...
há um instante em que uma voz nos diz
que chegou o momento de uma grande metamorfose..."
Rubem Alves

http://belarosehotmailcom-belaf.blogspot.com/
 
**Volte borboleta machucada**

Que me importa?!

 
Que me importa?!
 
QUE ME IMPORTA?!

Que me importa que seja tarde?
Que esteja à mercê da vida
A mercê da saudade?!
Que me importa que me achem louca varrida?
Ando à mercê!
Deste tempo que me deprime, me faz sofrer
Aqui, onde anoitece e só eu vejo, ninguém mais vê
Aqui onde a esperança já não quer acender.

As horas vão passando!
E eu no assento me remexendo
Nesta viagem louca, mansamente caminhando
Ou dando caminho à Vida e nela me perdendo.

A quem importa se trago o coração cheio ou vazio?!
A quem importa que a noite que adensa me traga frio?
Que me importa se as lágrimas que chorei secaram
Ou se me esquecem até os que me amaram?!
A Vida quebrei! Estilhacei!
Quero lá saber se os cacos juntarei...
Ou voltarei a juntar!
Se ninguém vai saber, nem perguntar.

Cerro os dentes, calo a voz
Só eu e a melancolia no portal da minha porta,
esta me faz companhia, se senta comigo,
Estamos sós!
A Vida nos pôs de castigo.
Não me importa, já nada me importa.

Na garganta me ardem os gritos
Sufocados, p'la solidão desesperados
Já lhes ouço o eco, dentro de mim aflitos
Que me importa? Pois que fiquem também eles a um soluço confinados.

rosafogo
 
Que me importa?!

Meu disfarce...

 
Meu disfarce...
 
Não sei por quê?...
É difícil de entender!
Pensar que a melancolia
Das noites frias e vazias
Trazem-me tristezas - alegrias.

Minha companhia, amiga.
Experimenta do meu fel
E, se, mantém fiel.
É ali que me revelo...
Deixando minhas quimeras...

Meus sonhos de primavera,
Aonde ouço minhas canções de amor
Desnudando-me sem pudor!
Mostrando meu sorriso multicor...
Até as lágrimas beijarem minha face!
Eis ai, o meu disfarce...
Dormindo antes que a solidão me trace.

Por Mary Jun.
Guarulhos,
26/01/2015
Às 17h30min
 
Meu disfarce...

Meu canto...

 
Meu canto é verso estranho, que divaga
É loucura, é absinto que embriaga
É ferida na alma, é aniquilamento
Meu canto é saudade, é aprisionamento...

Meu canto é verso duro que não afaga
É grito preso na garganta, é chaga
É sussurro, é suspiro, é lamento
É dor que não quer calar, é tormento...

Ó Deus, devolva meu canto de outrora
Sem lágrimas, sem mar, sem alagamento
Sem atribulação, sem ressentimento...

Um canto com versos sobre a aurora
Que fale de cores, de flores e do vento
Um canto doce, uma poesia, um acalento...
(ania)
 
Meu canto...

Chove-me a cântaros na alma

 
Chove-me a cântaros na alma
 
A chuva cai,feita de inverno
já não me traz nada de novo
são lágrimas que chora o povo
dor que não conhece interregno

Os dias vestem-se de noite
o sol teima em não aparecer
Deus não dá tréguas, vai chover
e o vento castiga, feito açoite

Sou permeável ao degelo
que engole a terra e a confrange
céu que agoniza, vão flagelo

Trago o desânimo no rosto
rio que verte um caudal aposto
chove-me a cântaros na alma

Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
natural: Setúbal
 
Chove-me a cântaros na alma

O VOO 447

 
Infelizmente, mais um acidente de avião veio colher muitas vidas e ensombrar a felicidade de muitas famílias.

Sabendo-se que o transporte aéreo é um dos mais seguros, não está ao abrigo total de muitas incidências, como neste caso perece ter sido o caso.

Vejo as imagens na TV e oiço os responsáveis tentarem por todos os meios, que não sei se são os melhores, darem uma explicação para este acidente.
Vejo e oiço as equipas de psicólogos a tentarem fazer o possível para que o moral dos familiares não fiquem a um nível zero.
Vejo e oiço os familiares chorarem e lamentarem a perda dos seus entes queridos.
E oiço alguns, que por este ou aquele motivo os seus familiares não foram nesse voo e logo salvaram-se de uma morte horrível, carregados de egoísmo dizerem que foi graças a Deus que eles não foram nesse voo!
Para mim, isto é o egoísmo .dos crentes. Então e os que morreram? Foi ou não graças a Deus? Porquê Deus, salvou alguns de morrer e deixou que os outros morressem?

Não, não sou crente... também graças a Deus!

A. da fonseca
 
O VOO 447

Quem és?

 
Quem és?
 
QUEM ÈS?

Quem és, que desarrumas a que sou?
E não importa se amor não me tens!
Salto muros, desafio os céus,e estou
Triste, triste sempre que não vens.

Tudo sabes da minha intimidade
Pões meu coração ao vento
Morrem por ti meus olhos de saudade
Em cada lágrima minha és lamento.

É contigo que sempre converso
Altas horas, até alvorocer a aurora
Meus sentimentos transformo em verso
Dentro da vida és esperança que aflora.

Quando partir em alegria ou desespero
Quero que venhas comigo deste jeito
Companheira amiga contigo quero
Adormeçer levando-te no meu peito.

À Poesia que vive em mim.

rosafogo
 
Quem és?

UM SORRISO

 
UM SORRISO
 
“Sorrisos que marcam são como flores
desabrochadas perfumando a alma”

----------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
UM SORRISO

... decepção...

 
... decepção...
 
Quisera eu,
Que a mão que doasse
Não olhasse a outra!
Decerto que.
Com um tempo
Elas se apontam.
É como esmagar
O caule de uma rosa, dói...
No profundo âmago
Quão desprezível;
Esta decepção - sangra.

Mary Jun

Imagem Google
 
... decepção...

A minha ilha enlutada

 
O pranto ressoa na ilha enlutada
no enlameado das aguas em furor
jaz sem honra a beleza amortalhada
d´um exíguo paraíso outrora em flor

Suspende-se a vida em estupefacção
de um povo bravio, soterrado na dor
perdem-se vidas na estúpida tragédia
e ao olhar incrédulo … surpreendido
junta-se a agonia do futuro sem cor

Em momentos de autentico desalento,
alimentando-se da sua própria dor
cerram forte os punhos…. crentes
trajando a ilha de renovada cor

Num pranto incontido …sufocante
chora-se os corpos na morte perdidos
e murmura-se uma prece resignada
de um povo, unido na reconstrução.

Escrito a 22/02/10
 
A minha ilha enlutada

APENAS UMA MULHER

 
“A VIDA É TODO O BEM QUE DE VERDADE TEMOS, MESMO QUE NÃO A POSSAMOS PEGAR PODEMOS A SENTIR EM SUA PLENITUDE”

ÂNGELA lUGO


--------------------------------------------------------------
POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
APENAS UMA MULHER

MÃOS ENSANGUENTADAS

 
MÃOS ENSANGUENTADAS
 
Escrevo com a mão direita
Com a outra cravo uma lâmina afiada
no meu pobre coração
Quanto mais fundo ela penetra
mais intensamente meus versos jorram

Sinto-os quentes e borbulhantes
Sem rimas, brutos e inacabados

É por isso que escrevo
com as duas mãos
e de olhos fechados
Vendo apenas
a imensidão dos meus sonhos
Corroídos e malfadados...
 
MÃOS ENSANGUENTADAS

A FACE DA TRISTEZA

 
A FACE DA TRISTEZA
 
A face alonga,
A cabeça inclina,
O rosto empalidece,
Surgem rugas na testa,
As sobrancelhas se erguem,
As pálpebras superiores abaixam,
A boca fica com os cantos caídos.
Mas o pior de tudo, é o que os olhos não podem ver...
O CORAÇÃO SANGRA.

Rosangela Colares
 
A FACE DA TRISTEZA

A TRISTEZA...

 
A TRISTEZA...
 
“Pode a tristeza partir o coração,
mas quando existe a esperança
haverá sempre razão”

Ângela Lugo
----------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
A TRISTEZA...

Abandono-me nas palavras

 
A escrita é a minha última fuga de silêncio
Já não tenho as horas a roer-me a solidão
Nem o tempo a velar por mim

A mesa está posta e tu não vieste
Ninguém apareceu nem os pássaros mortos
Que habitam dentro de mim
As flores continuam alegres, algumas rasgaram-se,
Permanecem quietas junto dos remendos
Onde colo a minha sombra

Abandono-me nas palavras
E cravo nas veias a juventude dos livros
A passearem-se diante da cegueira
Diurna dos meus olhos

Carlos Val – pseudónimo literário de Conceição Bernardino
 
Abandono-me nas palavras

Nada mais será...

 
Não serei mais poesia nascente
em versos a atrair
nem magia iridescente
em musa a seduzir...

Não serei mais flor latente
em jardins a florir
nem vento dormente
pelos campos a fluir...

Não serei e tudo secará
e nada mais será...

Ficarei assim indolente
calada a definhar
feito semente
que esqueceu de germinar...
(ania)
 
Nada mais será...

Adeus poetas, vou partir

 
Adeus poetas, vou partir
 
Adeus poetas, vou partir
Ainda não sei para onde
Tibete, África, pólo Norte
Desertas….. ou em quatro paredes apenas
Mas o que sei, é que preciso sair
Não mais fazer poemas,
Não mais esperar algo
Levarei na bagagem só recordações
E a minha mágoa….
Estou cansada poetas,
Estou cansada de lutar, de poetar
Preciso desaparecer da face da poesia
Talvez assim eu consiga a paz desejada
Não me levem a mal
Guardem-me nas páginas do vosso livro
Talvez volte daqui um dia,
uma semana, um mês…..
Adorei ler-vos
Adorei conhecer-vos
Ficareis no meu coração sempre
Mas espero que entendem
Preciso de me ausentar
Sair deste marasmo sentimental
Olhar o mar com outros olhos
Dar valor aos amigos, aqui tão perto de mim
Olhar as flores, as arvores, os animais
Sentir o cheiro da primavera.
E não me magoar mais

Que sejam felizes amigos
Tudo de bom para vocês.

Adeus poetas até um dia
Mas voltarei

Escrito a 24/07/08
 
Adeus poetas, vou partir

Saudade de ti...

 
No compasso incerto
dos meus dias
a vida segue vazia...
Sem esperanças,
sem nexo,
vazia de sentimentos,
vontades,
de pensamentos...
Vazia de emoção,
de magia,
de encanto...

Vazia de tudo,
menos,
dessa saudade de ti...
(ania)
 
Saudade de ti...

RECORDAR

 
RECORDAR
 
RECORDAR

A memória tem raízes profundas
Às vezes basta uma palavra, um cheiro
E ela nos leva para longe
Àquele tempo primeiro.

Fico calada a escutar
Um pássaro o silêncio rompendo
E meu peito não consegue calar
As saudades do meu lar
Vou lá voltar!
Estou querendo.

Às vezes acerca-se de nós
Uma felicidade secreta
Mas que nos embarga a voz
Duma tristeza fina, saudade dilecta,
que se vai espalhando, nos enche o peito,
e não há outro jeito!
Nem palavras para descrever a sensação
Que nos vai no coração.

A noite invade-me
A àgua desliza no rio lentamente
E a boca sabe-me
A sal da lágrima que rola impaciente.

natalia nuno
rosafogo
 
RECORDAR