http://www.luso-poemas.net/modules/smartsection/item.php?itemid=3049
 
Poemas : 

O último poema escrito por Almeida Garrett

 
Eu disse a Deus: – Que importa,
Senhor, à tua glória
que sobre mim se feche a eterna porta
do túmulo, e não fique mais memória
deste verme de um dia na terra que o sumia?

Não foi teu braço forte
que do seio do nada
tirou a vida, e mandou logo a morte
para trazer eterno equilibrado
entre o ser e o não ser
nossa força e poder?

Escrito nas estrelas,
clamado pelos ventos,
bradado pelos mares nas procelas
no céu, na terra, em imortais acentos
Por toda parte está
o nome de Jeová.

Na imensa natureza
a voz do homem é nada.


3 de Agosto de 1853

(Encontrado no espólio existente na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e dado a público em 1999.)


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

Porque hoje se comemora o aniversário do nascimento de Almeida Garrett

Open in new window
 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1417
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...