https://www.poetris.com/
 
Textos : 

paragens - uma outra versão

 
Ontem vi-te, na paragem do autocarro que chega sempre adiantado. Estava lá ao canto, ao pé daquele indivíduo de chapéu cinzento e gabardina cor de café com leite. Não me viste.
O autocarro chegou, tu entraste e mais meia dúzia se seguiram. Eu entrei depois de ti e enquanto escolhias um lugar junto da janela, fui andando lá para trás na confusão dos demais. Sentei-me no banco traseiro, mas com um angulo de visão que me permitia olhar-te sem que tu me visses a mim.
Levavas no rosto a tristeza das nuvens escuras do dia e a amargura de quem se arrasta, sempre pela sombra, de uma existência madrasta.
A certa altura abriste a mala e tiraste lá de dentro um pequeno espelho que seguraste numa das mãos enquanto a outra procurava ainda lá no fundo um pequeno frasquinho parecido com baton. Ainda pensei que fosses dar um pouco de cor ao lábios pálidos, mas não. Usaste-o para te ajudar a disfarçar as olheiras que a noite mal dormida te deixou como troféu. Ficaste um pouco melhor e até tu o achaste(deduzo eu), porque te vi voltar a guardar o espelhinho na mala sem mais demoras. Encostaste a cabeça ao vidro da janela e ficaste para ali a observar a paisagem que te ía fugindo a cada instante...
Saíste na paragem da rua da esperança (que ironia tão triste) e desapareceste por entre os rostos da multidão que te engoliu e me deixou a imaginar-te para além do que mais não sei de ti.
Mais logo voltas. Tenho a certeza que voltas porque o autocarro não pára fora da paragem e a vida também não.

Este texto foi inspirado neste outro aqui
E talvez nem acabe aqui, quem sabe.


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
650
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 27/01/2013 12:51  Atualizado: 27/01/2013 12:51
 Re: paragens - uma outra versão
a continuação, o seguimento da viagem, e a cada momento, em cada momento há novas possibilidades, novas paragens, que conduzem a outras viagens e a outros caminhos...gostei muito desta continuação, desta vida que se vê fugir pelo vidro da janela do autocarro, a passar depressa...lá fora...abraços