Poemas, frases e mensagens de Cezarubaldo

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Cezarubaldo

Retôrno às Estrelas

 
Ao meu funeral
não lancem lágrimas.
Deixem que aves
e peixes,
no soluço dos ventos
e dos mares,
chorem a minha partida
para as estrelas
de onde vim
e onde o mais terno amor
aguarda-me...
 
Retôrno às Estrelas

DAS BUSCAS

 
Preciso encontrar-te
e em silêncio,tocar-te
a alma...
Depois,acariciar a pétala
do amor em teu corpo nu,
teu e meu!...

Cezar Ubaldo.
 
DAS BUSCAS

CARPE DIEM

 
Nasce o dia,e a luz
vem garupando nele,
feito amazona,
até você chegar
e colher-me
como colho o dia...
 
CARPE  DIEM

ACOLHIDA

 
Acolhe-me
em tua matéria,
em tuas entranhas,
em teu corpo são
e verás meu espírito
em carne,desejando-te,
amando-te
mais do que se fosses anjo,
mais do que toda a imensidão...

Cezar Ubaldo
 
ACOLHIDA

DOS VERSOS SEM NOME VIII e X

 
DOS VERSOS SEM NOME

VIII

SERÁ UMA MANHÃ NUA
A SORRIR
QUANDO FALAR-TE DE AMOR
E UMA TRISTEZA SOLENE
QUANDO DISSER-TE ADEUS!...

X

À TUA AUSÊNCIA,
ESMORECE O CORAÇÃO.
Á TUA AUSÊNCIA,
NEM DEUS PERTO DE MIM!...

Cezar Ubaldo.
 
DOS VERSOS SEM NOME VIII e X

GRAN FINALE-I

 
Deixa-me morrer em tua boca
saboreando o último dos meus beijos
em teu beijo...
Deixa que meus olhos a vejam
no último rasgo de luz
e eu,sentindo meu eu tornar-se brisa,
esfrio,
mas levo em minha boca gélida
o calor do amor teu...
 
GRAN FINALE-I

NÓS

 
Somos de eterno o que nos cabe
agora.
Somos a eterna visão
do que dentro de nós,mora.
Somos a chama da paixão
incontida e breve
que a conquista do terno
em nós,assegurou...
 
NÓS

DA SECURA DOS TEMPOS

 
Rios sem águas
nascentes
são como olhos
fenecidos,
sem lágrimas
para regá-los,
para fazê-los
sorrisos...
 
DA SECURA DOS TEMPOS

HOMEM

 
Envolto,
por grades estrangulado
não sonho,não canto.
E, até mesmo a minha alma
de pássaro,
chora ao mirar a liberdade
lá fora...
 
HOMEM

DE TODAS AS FÁTIMAS

 
Fátima dos portos
humanos
poetizai por nós!...
Fátima dos portos
bastantes
alimentai-nos de poesia!...
Fátima das horas e dias
olhai por nós em tua elegia!..

Cezar Ubaldo.
 
DE TODAS AS FÁTIMAS

DOS HOCUS POCUS DIVINOS

 
Ao ver a luz diminuir
O brilho,
Senti de Deus,o esfriar
Do tempo,
Ouvi o vento assobiar
O canto
E,sem espanto,recriei-me
Em vida...

Cezar Ubaldo
 
DOS HOCUS POCUS DIVINOS

SOBRE HOMENS E AÇÕES v

 
Não vejo mais o olhar humano
sobre o olhar!
Não vejo o olhar sereno,olhar de versejar
sobre a harmonia em querer se dar!
Não vejo mais as mãos tocando-se
como em um anunciar de homem
renascido em meio ao lasso olhar!.
Não vejo mais a luz humana,
só um riso insano,um desesperar!...

Cezar Ubaldo.
 
SOBRE HOMENS E AÇÕES v

TOTAL

 
Mostra-me a tua face,
a tua carne,tua beleza.
Assim,
germinaremos em almas
poéticas,em almas
carnais
os versos que nos saem
da alma,
acessos castiçais...
 
TOTAL

DOS VERSOS SEM NOME XIX

 
Tenho todos os rostos do mundo
e todos os pensamentos.
Sou o tempo à minha espera
com suas fadas donzelas,
com suas garras e teias
e dou o que de mim semeias:
versos e esperança.

Cezar Ubaldo.
 
DOS VERSOS SEM NOME XIX

GRAÇA

 
Verso sereno que pageia a noite,
por onde andam teus cantos,
a que tom elevas a voz?
Onde escondes o verde que não tens
nos olhos,
onde escondes a pacífica ventura
das mães,
onde buscas tuas lanças,teus fuzis
que jorram gritos e não mortificam
a nenhum homem em todo o nosso tempo?
Graça,
em que rosto roças tuas mãos
que fazem vinho e mel da poesia
na ventura de encontrar-se onipresente
quando te velejas feito embarcação
deste universo,inverso do teu pão?
Graça,
em que mundo tu te guardas?
Em rosas-margaridas prenhas
feito a vida,
em mudas magnólias,sem fé
desenganadas,
ou na razão que nos liga
como a raiz da paixão?...
 
GRAÇA

DE TODAS AS INTENÇÕES

 
Da vela acesa na poesia escrita
surgirá sempre um signo parido
da janela do som
e da penumbra da alma inquieta
daquele que vara a noite
com versos profanos cultos
o símbolo da embriagues acumula-se
no tempo do completo silêncio
do interior das gentes que morrem
no silêncio gritante da noite
de alma medrosa
que escapa à ousadia da mulher da noite
que lava as partes de prazeres
na saliva do amante
que sem poesia escrita na língua
enche de prazer a companheira
em sintonia com a média luz fluorescente
que aborta a luz da mariposa
e a faz gemer como uma útil inocente
a ajudar o verso a desnudar as farsas
com que os homens regem o partilhar
do amor...
 
DE TODAS AS INTENÇÕES

ENTRE DIVINDADES

 
Creio que devo partir
para onde estão os deuses.
Talvez,encontre-me com Deus
e possa,ao tempo permitido,
cear maçãs e uvas,para depois
de deleitar-me com o Canto Divino
ao qual só poetas são convidados
a ouvir!...

Cezar Ubaldo.
 
ENTRE DIVINDADES

ENTRE VAZIOS

 
A noite é devagar.
Entre vazios
uma melodia é silenciada
e depois
o próprio mar acaba
navegando
e tudo acaba.
 
ENTRE VAZIOS

DA ESTRANHA PASSAGEM DO TEMPO

 
Coloco-me sempre diante de mim:
Olho-me e vejo-me.
Depois,
Adentro o Eu à minha frente
e retorno,ciente da viagem que fiz.
 
DA ESTRANHA PASSAGEM DO TEMPO

OFICINA DE OUTUBRO (ao meu 2 de outubro)

 
Na oficina de outubro
construo os meus versos,
componho canções,
alimento amores,
expurgo temores
e banho-me de luz.
Na oficina de outubro,
encontro-me
e teço,dias e noites,
o que não se deseja mais:
a paz!...
A oficina de outubro
é a porta de chegada
de mim mesmo
ao meu eu profundo.
Então,retrato o silêncio
em mim
enquanto alimento-me
de sabedoria e divindades...
 
OFICINA DE OUTUBRO (ao meu 2 de outubro)