https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Graffiti

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Graffiti

TRÊS

 
Três
É de três mil o número
De desabrigados em Ferreira Gomes
Três
Mil casas tomadas por águas
Que tem tomado casas e sonhos no Amapá
Três
Mil famílias que hoje à noite
Não dormirão em suas camas
Três
Mil pais e mães que hoje,
Não terão o arroz, o feijão e o pão.
Três
Mil pessoas que hoje
Perguntar-se-ão: Por quê?
 
TRÊS

CINCO

 
Cinco.
Cinco dedos em uma mão
Cinco dedos na outra mão.
Cinco.
Presa nos cinco dedos,
Que tenho presos na mão direita, uma caneta
Com ela escrevo coisas de mim.
Cinco.
Em cinco palavras, uma verdade de mim:
“Estou bem usando essa cara”
Cinco.
Traço no tempo, cinco riscos
Ensaio cinco risos, disfarço todos os cinco.
Cinco.
cinco são as “peles” vestidas
essa tem cinco dias.
 
CINCO

SEIS

 
Em seis dias mais um
é seis de dezessete.
nesse mês que é seis
vou colocar minha ampulheta
sobre minha mesa de cabeceira
e contar as horas
os minutos e segundos
e milésimos delas e,
quando escoar a areia
do tempo que me separa de você
vou te buscar, desenterra-la.
arranca-la ei dos escombros
onde lancei nossas memórias.
vou levar nessa hora
meu revolver cujas seis balas
me servirão para acabar
com o sonho, caso não te ache.
 
SEIS

DEZ

 
Dez
cinco em uma das mãos
+ cinco em outra mão
somados, tenho dez dedos.

os 5 da direita são tudo
sou destro
os outros cinco,
por vezes pergunto:
- Pra que servem?

com 2 dos 5 da direita
seguro firme uma caneta
escrevo 1, 2, 5 ou mesmo dez letras
acrescento a elas símbolos
e formo frases e frases.

(os 5 dedos, que completam os dez
firmam sobre um móvel o papel
para que neles os dedos direitos
escrevam frases e frase
para compor algo bom de ler)

os 5 dedos que funcionam me servem
para afastar uma mecha de cabelos
que vez ou outra cobrem
os olhos bonitos da mulher
que é o meu amor maior

Servem também esse 5 dedos
para secar aquela lágrima teimosa
que aparece e nubla o olhar
do meu amor, único amor.

(os meus dedos esquerdos
enquanto os direitos acariciam
os cabelos e secam as lágrimas
do meu eterno amor
seguram firme os dedos das mãos
da mulher do meu coração)
 
DEZ

ONZE

 
Onze
É o número de vidas que a mãe
com amor e cumplicidade gerou
onze irmãos... onze... um Team.

Seriamos,
não somos mais...
Wilson, Luiz e Ziza.
Tem dias que "bate"
uma saudade deles.

Não somos mais um time
estamos espalhados
pelos campos paulistas
pelas montanhas de minas.

Seriamos onze
mas a perna enferma do mano Wilson
não sustentou seu corpo franzino.
caiu meu amado irmãozinho por
onze... onze fatídicos metros
no chão restos de construção,
pontas agudas de ferro.

Era para continuar onze
o álcool e o tabaco porém
machucaram o Luiz... ele quiz.
uma cirurgia, um não repouso
uma sandice, um ego "inchado"
passamos de onze para nove.

dos onze...
do time que não era mais time.
do onze que agora era nove
a Ziza recebeu uma visita "maldita"
câncer corrosivo, imediato.
fiquei sem minha confidente.

chorei... chorei... chorei

bem mais de ... onze vezes.
 
ONZE

SETE

 
Sete ondas?
Sim, já pulei
não só no 31 do 12
véspera do 1 de 1
no 31 não pulo as sete ondas
não carrego comigo
essa crença.

Sete pecados?
Quem não cometeu
alguns dos sete
que atire o que tem na mão e
se for pedra,por favor
não "calibre" a mira

O sete?
todos nós ja "pintamos" esse sete.
minha amiga mais fiel
a que dorme comigo
e ri das mesmas piadas
que ja não tem graça,
quando me vê quieto
imerso em lembranças
pergunta:
Buscando Janete?
 
SETE

DOIS

 
Dois
São os meus olhos e com eles vejo o mundo
O que dá para ver do mundo com os dois olhos.
Dois
São os meus ouvidos
Ouço e escuto coisas com eles.
Dois
São os meus braços, através dos quais
Mantenho o equilíbrio do corpo.
Dois
São os meus pés e com eles
Já andei, corri e rodei “brasis”.
Dois
São os rins que eliminam
As impurezas do que venho ingerindo.
Dois
São os pulmões e eles são a causa
De ainda agora respirar o ar e viver.
Dois
São os testículos e eles
Produzem quando estimulados, vida.
Dois
São os objetivos primeiros
Amar e ser amado.
 
DOIS

UM

 
Um.
Primeiro de alguns
Ainda que não venham outros ou outras.
Primeiro dos passos
Na direção do indefinido e do ainda incerto.
Ideia inicial
De um conceito ainda não pensado.
Primeiro dia
De um novo e quem sabe duradouro tempo.
Um.
 
UM

QUATRO

 
Quatro.
Com quatro letras escreve-se
O nome do Deus que deu a vida.
Quatro.
Também tem quatro letras
A palavra amor, dom de Deus, que é vida.
Quatro.
Deus, amor, Vida.
Isso tudo misturado dá liga, que tem quatro letras.
Quatro.
Quatro palavras escritas
Com quatro letras: Deus, Amor, Vida e Liga.
Quatro.
Quatro dicas para nós
Que vivemos por vezes de “quatro”
Buscando solução em quatro cantos
Aqui e ali, lá e acolá.
Uma de quatro:
Deus é amor.
Duas de quatro:
Vida sem amor não é vida.
Três de quatro:
Amar, amar, amar e amar.
Quatro de quatro:
Liga, já, sua vida ao amor de Deus.
 
QUATRO

OITO

 
Oito.
Esse é o número
de peles que cobriram o meu rosto.
oito novas caras e feições.
cada uma inoculou um pouco
do veneno da mentira.
foram oito seringas cheias
da droga da obstinada ânsia
de se achar e se firmar
de mostrar a cada nova face
uma que sepultasse outra
ainda que com traços indeléveis
da primeira das oito.
Oito confusas mentes
Oito débeis, fúteis ate
tentativas de dizer:

estou aqui, me ache aqui.
atrás de mim... atrás de mim.
 
OITO

NOVE

 
Nove
por nove breves meses
o tempo da minha gestação,
desfrutei uma paz transcendental.

Ao longo desses nove sóis
dona Teresa que me gerou e
antes de mim gerou oito e
depois de mim mais dois,
dispensou-me amor incondicional.

Fui o "nove" de uma prole
que somou onze cabeças pensantes
vibrantes algumas,murmurantes outras
todas contudo, cheias de vida
carregadas de paixão por vezes passional.

Olho hoje o mundo em volta de mim
as pessoas e
olho na cara das pessoas e
não vejo nelas a paz,o amor e
não sinto nelas pulsar a paixão.

Olho as pessoas e busco nessas pessoas
um traço ainda que pequeno
das marcas do amor e da paz e da paixão
nas quais estive por nove luas mergulhado
e não vejo e fico constrangido
e constrangido aspiro... voltar

para a barriga de dona Tereza
 
NOVE