https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sombrios : 

Decadência

 
Decadência

O amor fecunda uma esperança inerte
A dor emana um desespero existente;
Almas ceifadas buscam abrigo, o celeste?
Amor e beleza, dor e tristeza. Incessante?
Corpos pútridos clamam por algo, a clemência?
Acalentar em um desejo fútil, nosso lar em decadência!
Apenas por um momento deixe tocarem seu coração
Para que o Mundo possa ter esperança no amor...
Apenas por um momento acredite na razão
Para que a humanidade não venha mais sentir tanta dor...
É o que vivemos... Um Mundo em constante destruição!
Abram as cortinas acetinadas do teatro da vida
Dê-em seus simplórios votos aos tiranos
Deixe-os imperar em harmonia com a mentira
Aplaudam-os, incentivem seus egos insanos.
Porque tanta dor e maldade?
Onde está o amor e a bondade?
A bruma da aurora decadente se alastra
A veneta do amanhã se estende, nos afaga
O etéreo de justiça se findou como um mito
Ecos de dor podem ser ouvidos ao longe, um grito!
As mentiras são as verdades
As verdades são as mentiras
Assim vivemos, em uma quimera deplorável
O brilho se escasseou? A esperança do formidável...
Como poderemos escapar? Era somente uma ilusão;
O sentimento finito irrompeu, o Mundo em destruição.
Quer contar uma história para seu filho dormir?
Conheço uma! Ela é a fábula da paz, conhece?
Eu também nunca a li, mas sempre quis ouvir.
Vês como me sinto? Como minha alma esvanece
Apenas por um momento beije-me
Faça-me acreditar que ainda há esperança
Apenas por um momento toque-me
Faça com que flores floresçam meu âmago
Apenas por um momento ouça o que sinto
- Eu te amo.

Fábio Wilson Rezende (Stacarca)


"Amar-te é ter a certeza que morrerei por um propósito;"

 
Autor
Stacarca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
775
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.