https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Preguiça comum

 
Tempo que não voltas,
E secretária que não te arrumas,
Malditos papéis que me desorganizam,

Tanta árvore desperdiçada...

Todos os dias mais um talão,
Um print,
Uma carta...

Tanta informática,
Século vinte e um,

Palavrões como Arquivo não fazem sentido,
Só dão trabalho.

Pastas, pastinhas, separadores, micas...

Tanta informática,
Século vinte e um,

Dispõeem-se assim florestas em armários.

Málditos papéis que os odeio,
Fazem-me sarna...que comichão!

Arrumo esta selva amanhã, hoje não...
Tenho mais do que fazer
Do que limpar o lixo ecológico do Homem.

Primátas...


Obrigado a tudo o que me inspira.

 
Autor
Ruben
Autor
 
Texto
Data
Leituras
525
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 06/07/2007 11:38  Atualizado: 06/07/2007 11:38
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Preguiça comum
Realmente andamos a fazer muito lixo ecológico. É bom que haja alertas assim!

Beijinhos

Enviado por Tópico
Paloma Stella
Publicado: 06/07/2007 12:55  Atualizado: 06/07/2007 12:55
Colaborador
Usuário desde: 23/07/2006
Localidade: Barueri - SP
Mensagens: 3514
 Re: Preguiça comum
A preguiça que fez com que o homem caísse num mundo diferente. A tecnologia, que foi destruindo o seu próprio meio Ambiente.

Beijinhos