https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Mors

 
Sei que virás ao meu encontro.
É a inevitabilidade no seu estado mais puro.
Mas quando vieres, avisa-me,
pois quero sorrir
para que as nuvens me recebam em festa.
O medo vai deixando de correr em minhas veias,
o que sinto é pena.
A cada segundo que o cerco se encurta, aumenta a pena que sinto.
Peço-te uma única coisa: serve-te dum relógio bem grande e dá-me tempo para mais uns quantos onirogmos.
Eu sei que para ti o tempo é somente feito de espera. Não passas de uma puta sem cona.
Ao menos tivesses uma.
O tempo é feito de sonhos, e os sonhos precisam de tempo, por isso, dá-me corda.
Sabes, não tenho medo de ti.
Quando chegar a minha hora só irei ter pena de não ouvir o segundo seguinte.


 
Autor
zakastraszkas
 
Texto
Data
Leituras
581
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.