https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Paixão : 

INSENSATEZ - (Com video)

 
INSENSATEZ - (Com video)
 
INSENSATEZ


Elen de Moraes


Dói a tua ausência!
Choro a tua falta...
As tuas lembranças
que se misturam
às brumas do meu pranto,
vão e vêm... como a cerração
que encobre os vales
nas madrugadas invernais...
Nessas noites encapeladas
pela desilusão,
nessas horas mortas,
vazias de amor,
quando os teus fantasmas
me atormentam
e fazem com os meus sentidos
uma orgia sem fim,
eu rolo na cama...
E me perco
entre os lençóis do meu desejo...
Sofregamente,
beijo o teu vulto sedutor
que trago gravado na memória,
em ferida aberta no meu peito...
Ó noite envolta de amarguras,
coberta com a manta inglória
das perdidas ilusões,
manchada pelas desventuras
que encrespam minha alma,
amanheça!
E traga com o sol,
de volta, o meu amor,
a minha eterna paixão...
Ou me adormeça de vez!
E apague em mim essa dor,
essa minha insensatez!



Rio de Janeiro,Br


Open in new window

 
Autor
elendemoraes
 
Texto
Data
Leituras
1129
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
-4 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/05/2010 07:02  Atualizado: 29/05/2010 07:02
 Re: INSENSATEZ
Olá Elen,

Que belo o teu poema, como se de ti se pudesse esperar outra coisa!! Aprendi a respeitar a tua alma de poeta, mesmo insensata... mas franca e leal a si mesma e aos outros.

Todo o poeta é insensato quanto baste, isso o distingue dos outros mortais....

Viva a Insensatez!! Vivam os Poetas!!

Rute Gomes