https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

ARDINA DE LISBOA

 
ARDINA DE LISBOA

Pé descalço e calção roto
Imagem desse garoto
A quem chamamos ardina
Qu’em voz cantante apregoa
Pelas ruas de Lisboa
A imprensa matutina...

Ao romper da madrugada
De jornais cheia e pesada
Ao ombro põe a sacola
Num lesto desembaraço
Sem ter tempo nem espaço
Para os livros da escola.

E num desafio à vida
Trava esta luta atrevida
Por mercê do seu destino
Sem ter direito a brincar
Vê verdes anos passar
Sem chegar a ser menino.

Da pequena personagem
Ficou do tempo esta imagem
Que inda vejo em cada esquina
Hoje ao cantar este fado
Embargo a voz magoado
Porque eu também fui ardina !...

Euclides Cavaco

 
Autor
EUCLIDES CAVACO
 
Texto
Data
Leituras
2973
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/08/2007 22:42  Atualizado: 03/08/2007 22:44
 Re: ARDINA DE LISBOA
Belos versos a lembrar do "ardina de Lisboa". Aqui no Brasil, eram os meninos-jornaleiros.
Boas lembranças.
Isabor.

Enviado por Tópico
Ledalge
Publicado: 03/08/2007 22:58  Atualizado: 03/08/2007 22:58
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2007
Localidade: BRASIL
Mensagens: 6880
 Re: ARDINA DE LISBOA
MUITO BELO POETAR,EUCLIDES. EU CONSEGUI VISUALIZAR AS IMAGENS TÃO NITIDAMENTE. UM POEMA BEM FEITO TEM ESTE PODER, O DE ACIMA DE TUDO, EMOCIONAR O LEITOR. UM ABRAÇO, LEDALGE