https://www.poetris.com/
 
 
Sentir que cabem nos meus olhos
Lágrimas correntes
Orvalhadas
Dissecadas
Disseminadas
E eu sem um poema
Para tas descrever…

São como os gestos gastos
No silêncio das palavras
São veios carregados de suor
De corpos sofridos
Da dor do amor
Que nunca foi
Senão uma fonte
De gotículas em cascata
Pelo mundo dos meus sonhos

Loucura é saber dizer o que não quero
É escrever-te versos
Que te mentem
E te sangram por dentro
Loucura é caminhar no tempo
Em que as palavras eram ternas
Afagos soltos pela manhã

Ameniza este sentir
Este corpo que sente
Que nas palavras há tanto
Mas tanto medo
Que se revezam sempre
Nas noites em segredo

Escrevo-te agora
Neste bailado acrobático
Onde as palavras ganham formas
É Ser EU e TU
Sempre que às portas da morte
Nos encontramos
E ainda assim sorrimos…
 
Autor
ÔNIX
Autor
 
Texto
Data
Leituras
854
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
43 pontos
19
0
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/07/2010 22:36  Atualizado: 13/07/2010 22:36
 Re: Afagos
Ola Onix

Uma introspeção de ti para ti carente, â espera de algo que minimize o medo de ti.

Gosto da sua forma de se exprimir

Beijinhos


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/07/2010 22:40  Atualizado: 13/07/2010 22:40
 Re: Afagos
O ser se enfrenta na sua condição amorosa e se preserva na serenidade da consciência de saber que o sabe assim assumido e expresso poeticamente de forma tão bela.
Gosto te sempre.
bjs
nuno


Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 13/07/2010 23:15  Atualizado: 13/07/2010 23:15
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: Afagos
Todo o poema belíssimo, elegante, leve.
Prendeu-me de forma especial o trecho "... Que nas palavras há tanto medo Mas tanto medo Que se revezam sempre..."

Beijo.


Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 13/07/2010 23:46  Atualizado: 13/07/2010 23:48
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3351
 Re: Afagos
Que saudades amiga!

continuas a fazer das palavras momentos de grande prazer, para quem te lê são descanso da alma

beijo

JLL


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 14/07/2010 10:58  Atualizado: 14/07/2010 10:58
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: Afagos
Sempre lida com prazer a tua poesia, os meus olhos turvos e cansados no Outono da Vida, ainda
sorriem como se a leitura lhes trouxesse a Primavera de novo.

Adorei ler-te!
beijinho da amiga com saudade
rosa


Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 14/07/2010 12:02  Atualizado: 14/07/2010 12:02
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8222
 Re: Afagos
há amores que vivem no limite, em perigosas acrobacias. parece que não acabam nunca, que as mortes que se vão apresentando também os mantêm vivos. o amor é tantas vezes um non-sense.
beijo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/07/2010 13:44  Atualizado: 14/07/2010 13:44
 Re: Afagos
Não podia deixar de vir aqui deixar a minha passagem perante este colosso poetico. Já praticamente foi tudo dito. A tua poesia eleva e electriza os sentidos

Beijo azul


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 15/07/2010 10:10  Atualizado: 15/07/2010 10:10
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: Afagos
Dolores,
Palavras que são arrancadas das entranhas, tipo catarse.
Lindo, como tudo o que é da tua verve.
Beijinhos
Nanda


Enviado por Tópico
AntóniodosSantos
Publicado: 16/07/2010 17:17  Atualizado: 16/07/2010 17:17
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1005
 Re: Afagos
Um poema maravilhoso...

Dá para ler e saborear... várias vezes...

Virei mais vezes ler sua poesia...

Com carinho e Amizade

António Boavida Pinheiro


Enviado por Tópico
AntóniodosSantos
Publicado: 16/07/2010 17:17  Atualizado: 16/07/2010 17:17
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1005
 Re: Afagos
Um poema maravilhoso...

Dá para ler e saborear... várias vezes...

Virei mais vezes ler sua poesia...

Com carinho e Amizade

António Boavida Pinheiro