https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Lendas da Paixão

 
LENDAS DE UMA PAIXÃO

Quando vim morar naquela ilha, fiquei fascinada. O lugar era lindo, paradisíaco. O sol brilhava intensamente sobre os rochedos que pareciam verdadeiros santuários dos mais variados tipos de pássaros. A princípio iria ficar três meses a trabalho, mas acabei ficando muito mais, pois tudo ali era mágico, lindo maravilhoso.
À noite eu via da minha janela os fachos de luz do farol iluminando o mar, via as espumas brancas das ondas que vinham se quebrarem na praia magicamente prateadas. Via as palmeiras dançarem ao toque do vento. Eu amava aquele lugar, mas aos poucos a solidão foi tomando conta de mim. E aquela beleza aos pouco foi ficando desfocada e foi aí que ele apareceu.
Ele chegou no começo da primavera,quando a ilha se enchia das mais variadas e coloridas flores. A princípio eu o achava muito estranho, calado e triste. Não falava com ninguém, viera trabalhar na ilha, mais precisamente no farol onde também passou a morar. Quando o vi pela primeira vez, fiquei fascinada, era uma linda manhã de sol. Ele estava sentado no rochedo admirando o azul intenso do mar. Era lindo... Muito lindo... Olhar trigueiro, pele morena.
Pensei em me aproximar, me apresentar, mas não consegui sair do lugar. Meu coração bateu acelerado... Ele parecia nem notar minha presença. Alguns minutos depois ele desceu do rochedo e calmamente caminhou em minha direção, camisa aberta mostrando o peito bronzeado e nu. Ao passar por mim deu-me um sorriso, apenas um sorriso. Vi seu olhar, um olhar que me enfeitiçou. Nunca mais esqueceria aquele sorriso, aquele olhar.
Naquela noite, quando um silêncio assustador tomou conta da ilha, eu ouvi aquela linda melodia que vinha do mar... Era ele que, sentado no mesmo rochedo tocava seu violão. Aquela canção invadiu-me por inteiro, tomou conta do meu coração, do meu corpo e da minha alma. Acendeu em mim o fogo da paixão, me aproximei, fiquei ali ouvindo aquela melodia, quando ele terminou de tocar olhou para mim, sorriu e me disse;
__Quem e você? Gaguejei um pouco e lhe disse;
__Eu... Eu sou Emile, moro aqui há alguns meses, e você?
__Eu sou Pablo, disse-me. Um silêncio tomou conta dele, parecia não querer falar... Mas insisti,
__O que fazes aqui? Perguntei. E novamente com uma sombra de tristeza naquele olhar me disse;
__Estou fugindo, fugindo do mundo, de mim, fugindo de tudo.
Não entendi, achava misterioso demais... Naquela noite uma amizade imensa nascia entre nós. Amizade que se transformou em paixão, amor e cumplicidade. Andávamos na praia, rolávamos na areia e fazíamos amor sob a luz do luar. Ele colhia flores, colocava em meus cabelos, nadávamos nus nas águas mornas daquele mar, e o sol brilhava sobre nos. Minha vida naquela ilha deixou de ser monótona, porem Pablo continuava misterioso, ate que um dia quando acordei meu Pablo tinha partido. Chorei muito, cheguei a duvidar que tudo não tivesse passado de um sonho, mas o fruto daquele amor, não deixava duvidas, já era evidente dentro de mim...
Assim, quando de novo, a primavera voltou enfeitando e perfumando toda a ilha, uma linda princesinha chegou. Chegou para me consolar, me fazer companhia, me fazer feliz... O tempo passou e numa tarde quando eu e minha princesinha brincávamos nas águas límpidas daquela praia ele voltou.
O choro preso na garganta explodiu quando ele me abraçou me beijou então lhe apresentei Beatriz.
__É sua, disse-lhe sorrindo... É a nossa princesinha Beatriz... Pablo ficou mudo e abraçando-nos, deixou que as lágrimas falassem por si. Ente soluços me disse; Meu amor eu precisava daquele tempo... Precisava me encontrar... Precisava resolver todos os meus problemas do passado e voltar desta vez para sempre...para nossa ilha , para minha dois amores...

Helena de Paula

 
Autor
Helenadepaula
 
Texto
Data
Leituras
988
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.