Poemas : 

MUNDO CÃO-Neila Costa

 
Tags:  mundo    cão  
 
Open in new window



<div align="center"><a href="http://s145.photobucket.com/albums/r2 ... oltext467528287.gif" target="_blank"><img src="http://i145.photobucket.com/albums/r2 ... oltext467528287.gif" border="0" alt="Photobucket"></a>

23/setembro/2010 - 22hs:15min







Sob a ótica da minha introspecção, sobrenado à enchente da maldade humana, em tempos onde o mundo poderia ser um Paraíso, mas, o ar não se rarefaz e me sobrecarrego com o peso do fado da “ação humana”, que hiberna na imensidão de mundos surdos e a alma triste e desconsolada do homem, resmunga e a Deus grita por sua absolvição.

Época pálida, cingida por células, mergulhada em acontecimentos vis, com sons que ecoam e adentram pelas madrugadas repletas de “onças pintadas”, camufladas pelo farfalhar das suas vestes e das suas armas e pelo vermelho das sirenes luzidias.

Por onde anda a calma das ruas, das favelas, das cidades, das famílias imersas em tecnologias? Por onde anda a paz que já não consumimos como antes; que a sentimos na alma, embrulhada, fria, sem regurgitá-la; que deambula pelas veias a tremular por uma nova forma de saída. Por onde anda essa paz que dorme em “berço esplendido, ao som do mar e à luz do céu profundo”, que nos faz falta no dia a dia... Sem ela o medo impera e as pessoas padecem, enclausuradas, em suas casas. Obstruíram sua passagem por atos e ações horrendas! E hoje, para tê-la de volta, seria necessário uma metamorfose para extirpar o tumor da violência da nossa vida e ter de volta o prazer de cumprimentar o outro, o abraço amigo, o aperto de mão e nunca mais presenciarmos os desvarios noticiados sobre as drogas, estupros, roubos, homicídios. Ver de novo no olhar de cada um a candura da criança, o respeito do jovem, etc., para aconchegarmos a esperança de um mundo melhor... Um mundo em berço de ventura!


Hoje, é inevitável dizer que a conseqüência de vivermos em uma época de almas trêmulas, solitárias, absorvidas em silêncios inquebrantáveis, é do próprio homem que digere do seu prato do dia, uma inconformidade à vida, que é de pouquíssimos instantes de tranqüilidade, pois como sabemos quem governa o mundo é a insegurança e o temor pelas drogas. A razão, todos sabem, pois é citada diariamente pelos meios de comunicação.

A droga se apodera da mente dos jovens, crianças e adultos e essas se transformam em demônios. Portanto, as noticias inéditas que nos deixam perplexos e mais parecem novelas, infelizmente, são reais e nos atemorizam, pois somos nós os seus próprios protagonistas!
Hoje, já não sei se jaz o homem ou se jaz o mundo... mas sinto que tudo caminha, inexoravelmente, para o final...

Sim, pobre é o homem que a si condena,
Que não enxerga do mal, seu desatino...
Que não sente a dor alheia, mas pena
Sobre o que plantou para o seu destino.




Sou o Ontem vestida no Hoje
que no Agora em que transponho
sentimentos em algo real do instante,
transcrevo o que sou ou quem fui
fora de hora.
Sou o Eu Vestida nas Horas,
que escorre pelos Minutos
e Segundos que se vão afora.
Neila Cos...

 
Autor
NCosta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1450
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/08/2010 15:16  Atualizado: 24/08/2010 15:16
 Re: MUNDO CÃO-Neila Costa
Caríssima poeta Neila, Que reflexão esta tua! Tão clara, tão sentida na alma, tão consciente. Uau! É minha querida, não canso de falar, o mundo anda mal das pernas. Uma nova raça está por aí: a raça insana. Um soneto meu para te acompanhar no desabafo e na reflexão:

CANÇÃO DA RAÇA INSANA

Eu canto minhas dores contidas,
E minha angústia que não cessa.
Canto às antigas e tristes feridas,
Que cicatrizaram-se sem pressa.

Eu canto às noites mal dormidas,
E tudo que neste mundo me estressa.
Canto para todas as pessoas sofridas,
Que seus males aliviam com promessas.

Eu canto o ritmo frenético do dia-a-dia
E à vida tão mal vivida que levamos,
Condição infeliz a nossa, tão desumana.

Eu canto nossa conscientização tardia,
E esta situação em que nos encontramos.
Eis que surge uma nova raça: a raça insana!

Um beijo grande!
E parabéns pelas palavras fortes.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/08/2010 17:08  Atualizado: 24/08/2010 17:08
 Re: MUNDO CÃO-Neila Costa
Realmente é tudo isso descresves muito bem sobre esse MUndo Cão.

Abraço para poetisa Neila



Enviado por Tópico
elendemoraes
Publicado: 12/09/2010 14:01  Atualizado: 12/09/2010 14:02
Colaborador
Usuário desde: 05/05/2010
Localidade: Rio de Janeiro - Brasil
Mensagens: 507
 Re: MUNDO CÃO-Neila Costa
Mundo cão, vira-latas! Sem certidão de nascimento, sem vacina anti-rábica e entregue à própria sorte!
Depende e não depende só de nós!
Um excelente texto, amiga!
Bjs