https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

CÉU VERMELHO

 
CÉU VERMELHO

Resplandecem no céu mil tons vermelhos
Incendiando tudo, o lago e a neve.
Foi o tempo de dobrar os meus joelhos,
E desejar que tudo fosse leve...

Pouco a pouco, a confusa vida escreve
Maldições negras, únicos conselhos...
A minha alma cansada se descreve
Como um mar de antiguíssimos espelhos.

Prossegue a morte, bela primavera,
E me persegue a mórbida pantera...
Malgrado esteja duro e rubro o céu!

Eu sei que nesta Terra tão cruel
Tu me farás vencer o triste jogo,
E não me deixarás arder no fogo.

Rommel Werneck




sempre seu,
Rommel Werneck
www.poesiaretro.blogspot.com


 
Autor
lordbyron
Autor
 
Texto
Data
Leituras
4547
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 19/09/2010 19:09  Atualizado: 19/09/2010 19:09
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: CÉU VERMELHO
Planeta de situações contraditórias
e no epicentro do tornado
o pobre ser humano...

Saudações!!

Abilio**