https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

TUDO OU QUASE

 
TUDO OU QUASE
Autor: Carlos Henrique Rangel

Sentado
Em solitária mesa.
Os sentidos
Observam o mundo
Das redondezas.
São como países
Intransponíveis...
Galáxias isoladas...
Meu mundo limitado
Apenas observa...
Somente o garçom
Tem livre trânsito
Neste universo...
Vende alegria
Esse astronauta altista...
A cerveja é a flor
Do meu mundo
E eu cuido.
Esvazio o cálice...
Alimento-me
Do fel que cabe
Nesse pequeno tudo.
Não haverá espaços
Para turistas.

Que não venham!

Eu me basto...
Acho...
A cerveja,
Essa flor que fertilizo
Com os lábios,
Alimenta-me...
É o fel que cabe
A esse pequeno macho.

 
Autor
PROTEUS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
550
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
anakosby
Publicado: 05/12/2010 14:58  Atualizado: 05/12/2010 14:58
Colaborador
Usuário desde: 12/04/2010
Localidade: Torres
Mensagens: 1739
 Re: TUDO OU QUASE
Da-me cerveja
'a vida é nada"
e exilada
observo o carrossel
de corpos e fel
em circulos
intermináveis
universos
infindáveis
em cara face
constrita
que grita
por mais um toque
trazendo a carência
a reboque
e a tristeza na tez
da-me nada
pois cerveja
é minha amada
da vez!

beijoooooooooooooooo
adoro ler-te.