https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Maná

 
Tags:  amor  
 
Me espreguiço pro dia dizer “acorda”
E meu bem, que demora
Você voltando da venda com o pão
Fica pairando incólume na minha imaginação.
Não, eu não te tenho
E já se foi o tempo de se pedir um postal…
Então vou postar um texto
E um dia, você lerá e me verá
E me virá
E me virá
Ah, e virão
Os poemas e os dias
Enquanto eu decido se gosto
Enquanto eu finjo descobrir teu gosto
Sabendo de cor que já sinto a boca encher d’água
E os meus mares marejarem olhos
Tua mão posta em meu rosto
A universidade se distrai
E nas pedrinhas do caminho
Fundaríamos aquele beijo…
E me virá
E me virá
A certeza do que fui
Pela pura comparação do que tu me tornas.
E por convenção, sou o oposto
Mas por definição, sou não definido
O amor é o bandido
Que rouba as frutas que nem como
Por te esperar trazer o pão,
Caindo do céu feito chuva
Ascendendo-me ao céu da boca tua
E me virá,
Ah se me virá
Ah se me verão
Na primavera e na exatidão
De esperar indeciso
Te ver trazer meu pão


yuri emanuel

 
Autor
yuriemanuel
 
Texto
Data
Leituras
1114
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MelMartins
Publicado: 22/01/2011 22:34  Atualizado: 22/01/2011 22:34
Colaborador
Usuário desde: 01/06/2010
Localidade:
Mensagens: 941
 Re: Maná
Poeta o mais belo que li hoje aqui!

Que belo o que escreve.

Seja bem vindo e continue a escrever poesia que enche a alma, a crepitar qual lareira, neste gosto de ler.

Abraço