https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ocaso proscrito

 
Tags:  vida  
 
Despeço-me no calor frio do dia
onde o sol já não reluz
e a sombra do teu corpo some-se
no ocaso proscrito

Transmuto-me na calçada fria
onde os meus passos deixam marcas
de insana lucidez

Já não cantam os pássaros
e o olhar humedece-se
na meiguice de ti

Soltam-se os suspiros do dia
nos amargos silêncios da noite
onde o meu corpo jaz nos lençóis
brancos sem cor

E as estrelas brilham
de um tempo passado
na brisa quente do presente
nos meus olhos feitos amor

E é no olhar translúcido
que encontro o meu descanso
na berma bravia
do teu corpo nu


 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
845
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
26 pontos
10
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 26/03/2011 00:25  Atualizado: 26/03/2011 00:25
 Re: Ocaso proscrito
Liliana, parabens por mais um belo poema! Um abraco!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 26/03/2011 08:57  Atualizado: 26/03/2011 08:57
 Re: Ocaso proscrito
intenso e sentido poema; como tudo o que escreves. Amanheceres poentes de um amor ocaso.

Beijo azul


Enviado por Tópico
Alique
Publicado: 26/03/2011 12:27  Atualizado: 26/03/2011 12:27
Colaborador
Usuário desde: 03/08/2010
Localidade: Jundiai/SP - Brasil
Mensagens: 674
 Re: Ocaso proscrito
Bom dia Poetisa,

Está perfeito o teu poema...
Destaco:

"Transmuto-me na calçada fria
onde os meus passos deixam marcas
de insana lucidez"

Bjs
Alipio


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 26/03/2011 13:21  Atualizado: 26/03/2011 13:21
 Re: Ocaso proscrito
*Ah...esse é puríssima obra de arte, de sentidos e sentimentos!
Admiro-te sobremaneira.
Beijos de carinho
Ka*


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 26/03/2011 19:38  Atualizado: 26/03/2011 19:38
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Ocaso proscrito
Como uma dança de sentido e imagens das palavras, aqui é assim... bjs