Poemas : 

Perdido em gavetas

 
Ultimamente não tenho me apaixonado por nada.
E quando fico assim é tão bruma. Faltam-me poesias, sobram-me versos.
Quando um viajante como eu perde a paixão, esconde as asas, o que resta é incompletude.
Não dá pra respirar sem paixão, não dá pra imitar anjos sem liras, e estou tão sem reflexo que só me encontro no espelho.
O sol da manhã ainda me encanta, e o canto dos pássaros ainda me toca como flauta: falta porém algo para pôr na frase.
Um não sei quê que me mata não sei onde. Imito Camões de forma informal.
Sei todos os porquês, faltam-me apenas os sentidos...
Sei todos os comos, faltam-me quandos...
Insisto em escrever sempre que desisto de mim.
Meu mundo é por demais pequeno, e nem esses metros aproveito bem: uma gota de chuva nos meus olhos me faria o homem mais feliz do mundo.

 
Autor
ferlumbras
 
Texto
Data
Leituras
664
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.