https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

De padras e sonhos uma atenas sergipana-Lizaldo

 
De pedras e sonhos uma Atenas sergipana – Lizaldo
Nem de limão
Limoeiro
Juazeiro
jacarandá
É de pedras
Sangue
Colos na mão
É de laranjeira que sinto o sumo
O cheiro
O sabor
Azedo
O gosto amargo de tequila
Mais tambem
O perfume bom dos teus quintais
Dos tempos de laranjais
É com flor de laranjeira
Que o presépio se enfeita
Em gloria a são Benedito
Lá dos becos
Das ladeiras
Dos morros
Igrejas
Das cavernas
CANAVIAIS
Laranjeiras
Cheiro de histórias
De escravos
Do melaço
Do bagaço
Da cana
Do açúcar cozinhando
Impregnando de odor
Sofrimento
Suor
As ruas
Calçadas de pedras
Prédios
Casarios
Monumentos colônias
De laranjeiras
A Atenas sergipana
Brasileira
Tem gentes das partes continentais
Africanas
Européias
Americanas
Tudo faz diferença
Grande herança histórica
Cultura
Fruto da intensa vida de próprios
Dos feudos
E latifúndios açucareiros
E sofredores contumazes
O velho Cotinguiba
Tá de prova
Poluído
Desvalido
Inda resiste
Aos tempos de aflição
A nossa Atenas
Tem mais que ponto de cultura
Tem Reisado de mariínha
Guerreiros de seu José
Lambe-Sujos de pretos e velhos
Caboclinhos
Cacumbi
Taieira,
Samba de Parelha
São Gonçalo da muçuca
Batalhão 1º de São João
Chegança Almirante Tamandaré
Penitentes
Tem os filhos ilustres
Escritores
Pintores
Lideranças
Tem os quilombos nas matas
Os engenhos
Tem João Mulungu
Laureano
Dionísio
Saturnino.
João Mulungu
Felisbello Freire
Balthazar Góis
Marcolino Ezequiel de Jesus
João Ribeiro
Horácio Hora
Martinho César da Silveira Garcez
General Moreira Guimarães
Zizinha Guimarães
Carmelita Fontes
João Sapateiro
Antônio Gomes de Andrade
Cônego Philadelfo Jonathas
Augusto do Prado Franco
Umbelina Araújo
Dona Lalinha
Emanuel Franco
Augusto Franco
No sobe e desce das ladeiras
É preciso dançar
Pintar o sete
Não perder o rebolado
Contar coisa de teatro
Poetizar
Prosear com faz de conta
No folclore
Nas resistências e tradições
Tudo é fé
Devoção

Semelhantes
Essências
De versatilidade
Emergidas das cinzas
Onde o ser gente
Pensante
Pensar grande
Nos cursos da ufs
Fazer dos modelos de mundos
Diferentes mutações
De civilizações
Reverenciando raízes das gentes
Que constrói altares
Onde os deuses atendem pedidos
Sacros santos
E não se cansam de perdoar


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
435
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.