https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

MEUS AMORES

 


Amores meus, em cada um, fíz projeto.
Destino ferino que uma mulher mo deu,
Paradigma da impiedade, eu só fui resto,
Maldito pretérito que a minh’alma viveu.

Em tuas oferendas só me deste desamor,
Essa ninfa louca que ao meu idílio fanou
Senda lúgubre fêz-me um nefasto desertor,
Do romance esplendente que nunca selou.

Ó mulher! Arquiteta és da minha solidão!
Envolta estás em um falsídico sentimento
Só desejas conquistas, não vês o coração.
Do amado alhures, em pesar açoitamento.

Afasta-te! Há muito preconizas sofrimento!
Nunca te apiedes com a delusória emoção!
Ao trovador que dita versos em desalento
Edifica n’alma a sua mais convicta oração.



AQUARELA DE UM SONHO


Aquarela de mulher excêntrica e vaidosa,
Como é estranho este teu lângüido pensar!
Esta cisma persistente e assaz desastrosa,
No meu caminho, jamais deixarei passar!

Satírica maneira que te faz tão escabrosa,
Vendavais...

 
Autor
RivadáviaLeite
 
Texto
Data
Leituras
661
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.