https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Anjo Bom

 
Alexandre



Anjo Bom
Eu conheço o mal
Que manifesta nas almas das feras
Como feras são elas o próprio mal
São visgos negros e venenosos que deixam seqüelas

Dilaceram a carne vermelha
E o sangue precioso
Que jorra e já é como água suja da chuva
E seus cúmplices são as negras nuvens

Que como quem não quer nada
Propaga-se em uma prolongada
Heresia da dor

Não há face oculta, apenas facas afiadas
Que decepam sonhos e ruborizam as cores
Das flores

É a terra negra que assola estagnada o chão
Com as lindas unhas pintadas com esmalte marrom
Eu penso como Foucault

E a chamo de meu anjo bom

 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1257
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.