https://www.poetris.com/
 
Textos -> Tristeza : 

Veneno

 
Tags:  veneno  
 
Deita-te aqui.
O gosto do ópio paira na minha boca, deixa-me sentir-te enquanto a euforia ainda permanece no meu sangue.
Não venhas tarde, quando o sono lírico se apoderar do prazer que a carne retém.

Nudez do olhar, riso dormente.
Vem ver a actuação da voluptuosidade da morfina, socorre-me da letargia da maré que se deita no meu cérebro.


Os olhos fecharam-se vagarosamente, a mão abriu-se, o frasco caiu ao chão e rodopiou até aos teus pés.


les fleurs mortes.

 
Autor
Fleur
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1720
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.