https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sodoma e Gomorra

 
Tags:  poeta    dor    lágrimas    escritor    matar  
 

Um escritor escreve. Assim como um assassino assassina. Às vezes frio. Às vezes morno. Algumas vezes quente. Ou louco.
Um escritor escreve com arma de fogo. E mata apenas a si mesmo.
Mata o instante. O invisível.

O poeta sente a dor da morte. A dor da dor. A dor do tempo.
O odor da vida, e dos sentimentos. E as mulheres dançam nos seus sonhos.

Mas as lágrimas, que às vezes querem passar pelos olhos, estão presas.
Cárcere privado. Do poeta.
Se pudessem sair, revelariam as barbáries, e torturas que elas sofrem lá dentro.
E o poeta administrativo nunca a deixa sair.

Aquele peso escondido sob sua pele, sob seus ombros, abate a letra. A escrita.
E mesmo assim. Mesmo com essa pobreza de espírito. Esse podre homem é rei.
Rei sob seu domínio. Escárnio subversivo. A coroa de ossos é dada ao cego
que vela sua alma, na vala. Nos muros criados ao seu redor: “Sodoma e Gomorra” é seu poema.





No quiero ser normal.

 
Autor
marceloinverso
 
Texto
Data
Leituras
2035
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/07/2012 09:54  Atualizado: 10/07/2012 09:54
 Re: Sodoma e Gomorra
Gostei de ler. Parabéns.

Enviado por Tópico
BeatrizTrevisani
Publicado: 13/07/2012 18:06  Atualizado: 13/07/2012 18:06
Colaborador
Usuário desde: 10/06/2012
Localidade: Fortaleza-ce
Mensagens: 1480
 Re: Sodoma e Gomorra
Escrita boa de ler!
Gostei dessa ambivalência de palavras!
Um Grande Beijo!

Enviado por Tópico
SunsentL
Publicado: 15/07/2012 20:22  Atualizado: 15/07/2012 20:22
Participativo
Usuário desde: 09/06/2012
Localidade:
Mensagens: 33
 Re: Sodoma e Gomorra
Muito bom, parabéns