https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

solipsismo de um espectador compulsivo ou zapingue interior

 


bateu me um sono
e fingi que adormeci
a ver tevê

do outro lado da pantalha
ficou me um mundo
e lá fundo no fundo
era só palha

bendito sonho
que não sonhei
então
parti as palavras
que me pintaram
com um real que não percebi

bom
esbati um pouco
a minha ficção
até construir entretenimento
é a minha fixação

que grande mo(i)mento



 
Autor
uersus
Autor
 
Texto
Data
Leituras
533
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/08/2012 00:43  Atualizado: 15/08/2012 00:43
 Re: solipsismo de um espectador compulsivo ou zapingue in...
Entre o sonho e a realidade:

Uma interessante mensagem.
"que grande mo(i)mento"

Abraços
Luzia