https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Papel de Seda

 
Ouço o mar lavando as pedras. Debaixo do sol, meus dedos frios escrevem recados em papel de seda. Todos os pedidos, deslizam na linha sem cerol. As certezas de menino chegam ao céu. Outras pipas dialogam com o vento, atravessam nuvens, escapam das mãos.
O sol descia de vagarosamente. Iluminava outros continentes; velhos e crianças ouviam o cantar dos galos e os estalos das manhãs.
Estrelas chegavam miúdas;atrás das montanhas, fantasmas de cavaleiros sopravam cantigas medievais.
A noite passava vagarosamente. Nos sonhos chegávamos a lugares onde não havia relógios.



O amor movimenta-se entre nuvens ao som dos poemas gravados nas pedras e nas águas.

 
Autor
RaipoetaLonato2010
 
Texto
Data
Leituras
616
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
apsferreira
Publicado: 31/08/2012 01:42  Atualizado: 31/08/2012 01:42
Colaborador
Usuário desde: 27/12/2009
Localidade: Ponta Delgada - Açôres - Portugal
Mensagens: 1614
 Re: Papel de Seda
Belos momentos de descanso
passeando na imaginação...
Interessante. Gostei.
Beijinho,

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 31/08/2012 11:56  Atualizado: 31/08/2012 11:56
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29045
 Re: Papel de Seda
Estrelas chegavam miúdas;atrás das montanhas, fantasmas de cavaleiros sopravam cantigas medievais

DESTACO UM LINDO E MARAVILHAOA POEMA

Enviado por Tópico
RayNascimento
Publicado: 03/09/2012 07:28  Atualizado: 03/09/2012 07:28
Membro de honra
Usuário desde: 13/03/2012
Localidade: Monte Roraima - Brasil
Mensagens: 6391
 Re: Papel de Seda
Open in new window
RaipoetaLobato
majestosamente a metáfora se apresenta
num poema belo.
Bjus
Ray Nascimento