https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O silêncio do tear

 
Com um sim se diz não.
No vagar dos tempos
Entre o espaço cidral dos teus dedos abertos
Há um tear mecânico
Onde nossas mãos ávidas
Quiseram tecelar um tapete de orelos
Com os trapos dos momentos partilhados.
Foram as nossas palavras a urdidura
Que fomos esticando
Mas o pente liço atrofiou-se uma manhã
E os fios quebraram-se.

A poesia do teu corpo ficou fechada
Com todas as vontades viradas do avesso
Não penetrei a poesia da tua flor
Nem cada detalhe do teu corpo desalinhado
Os beijos, a língua, a saliva, o suor, a pele molhada
O falo túrgido
Esmoreceram
Num campo de cardos.
Eu sei que cada um de nós um dia chegou a imaginar
Os nossos corpos fundidos
Num vaivém em suaves entregas
No fio de trama do tear
Onde tecido seria a nossa carne
E os nossos sentidos entregues a um amor sem regras.

Ficou o desejo mudo
O que faz de nós meros filatelistas
Que nos preocupamos com os pormenores mesquinhos
Da integridade da serrilha de um selo.
O desejo mudo
Esmaga-se à noite no silêncio do travesseiro,
Olhos abertos na escuridão
Ao vaguear pelo firmamento de tecto do quarto,
Sente-se o vazio de um corpo ao lado
Que respira e dorme profundamente
E o desejo de noite não é o desejo do dia
E o desejo cala-se
E a lua consente
E o sono chega
E manhã que há-de chegar não será mais uma vez
A manhã
Que com um sim se diz sim
Ao que sempre se disse não.


Open in new window


 
Autor
Sedov
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1339
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
35 pontos
11
0
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/09/2012 23:33  Atualizado: 08/09/2012 23:33
 Re: O silêncio do tear para Sedov
Perfeito

eleito

Sorriso d'alma

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/09/2012 09:30  Atualizado: 09/09/2012 09:30
 Re: O silêncio do tear
Adoro a tua escrita. Desde o momento em que entraste neste site que nada perdi teu. És dos poucos que me fazem aqui entrar. Exímio


Beijo azul

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 09/09/2012 10:45  Atualizado: 09/09/2012 10:45
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: O silêncio do tear
A magia do silêncio traduz momentos de encanto e querer, belíssimo

Enviado por Tópico
Aivlis
Publicado: 09/09/2012 10:57  Atualizado: 09/09/2012 10:57
Super Participativo
Usuário desde: 30/06/2011
Localidade: Lisboa
Mensagens: 125
 Re: O silêncio do tear
É bom saber que voltaste, é bom ler-te.

Houve fuga sim,
Mas nunca um sim
quis dizer não.
Estou fechada no meu casulo
espreitando de vez enquanto.
Grito em forma de poesia
Os desejos escondidos
Os sonhos sonhados
As promessas que não fiz
As palavras que não prenunciei
Assim como a papoila
que um dia floresce
Entre as pedras da calçada
Iluminando o dia de quem passa
Mas no dia seguinte já não está lá.
O tempo...
Dá-me-o...


:(


Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 09/09/2012 12:23  Atualizado: 09/09/2012 12:23
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4528
 Re: O silêncio do tear
Ola poeta

Mas um belo poema
Daqueles que nos enche o peito

Beijinhos
Tudo de bom para ti

Enviado por Tópico
belarose
Publicado: 09/09/2012 19:39  Atualizado: 09/09/2012 19:39
Colaborador
Usuário desde: 28/10/2010
Localidade:
Mensagens: 9026
 Re: O silêncio do tear
Boa tarde Sedov!

Suas palavras são pura magia,linda sua poesia!

parabéns!

Abraços


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 09/09/2012 22:29  Atualizado: 09/09/2012 22:29
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16203
 Re: O silêncio do tear
Boa Noite, Poeta!

Poesia triste, de desencanto!

"E o desejo cala-se
E a lua consente
E o sono chega
E manhã que há-de chegar não será mais uma vez..."

Fiquei emocionada com a leitura! Gostei muito!

Um forte abraço!