https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 »
Offline
Sedov
É de outono que me vou vestindo
É de outono que me vou vestindo. As memórias, velhas fotografias Em que os nitratos de prata vão ...
Enviado por Sedov
em 16/10/2012 09:15:13
Offline
Sedov
Pantominas
É difícil bordar sorrisos No pano-cru da tua ausência. Amaldiçoo esta realidade que as leis da fí...
Enviado por Sedov
em 02/10/2012 09:36:41
Offline
Sedov
Encontro
Olho-te de frente na outra face quadrada Da mesa do café onde pela primeira vez nos sentámos junt...
Enviado por Sedov
em 30/09/2012 21:10:22
Offline
Sedov
Na concha da tua mão
Na concha da tua mão Depositei areia de ametistas Moídas no pântano da solidão. Pensaste, que ...
Enviado por Sedov
em 30/09/2012 21:08:03
Offline
Sedov
Promete
Começo a ficar para trás, O meu horizonte cada vez mais será a linha No inicio da curva da estrad...
Enviado por Sedov
em 30/09/2012 21:06:58
Offline
Sedov
Nunca mais escreverei poesia
O poeta que comigo partilhou horas de incerteza, Momentos de alegria, Desespero e desprezo, Aba...
Enviado por Sedov
em 20/09/2012 19:22:29
Offline
Sedov
Margaridas
No palor da madrugada, Passos apressados recortam silhuetas, Encurvadas de olhar esguio e triste....
Enviado por Sedov
em 20/09/2012 00:04:18
Offline
Sedov
Talvez
Perdido na maré vaza Que me afoga nesta loucura Procurei em teus olhos um farol Na longa espera...
Enviado por Sedov
em 19/09/2012 20:15:59
Offline
Sedov
Cão Vadio [dedicado à poetisa Maria Tereza Horta]
Já me enoja o sabor do meu sangue, Cão combalido que lambe as feridas. Vagueio de nariz no chão n...
Enviado por Sedov
em 19/09/2012 12:28:20
Offline
Sedov
Entre um ás de espadas e uma dama de copas [em memória de Luiz Goes]
O menino de cotovelos espetados sobre a mesa, Silencioso e ímpio louva-a-deus De braços em celest...
Enviado por Sedov
em 19/09/2012 10:09:26
Offline
Sedov
Palavras soltas
Amo-te nos teus gestos, Nos teus segredos, No teu sorriso, Na tua voz, Na tua poesia, Na escrita ...
Enviado por Sedov
em 18/09/2012 20:34:14
Offline
Sedov
Eu não tenho terra
Eu não tenho terra. A minha cidade não é uma terra. A minha cidade podia ser a minha terra. Mas q...
Enviado por Sedov
em 18/09/2012 17:22:52
Offline
Sedov
Tira-me a noite o que o dia me dá
Tira-me a noite O que o dia me dá. Podem ser as manhãs frias Debruadas em rendas de nevoeiro, Pod...
Enviado por Sedov
em 18/09/2012 14:45:42
Offline
Sedov
Queria voltar a ser menino
Queria voltar a ser menino, De calção curto, desajeitado, E as nádegas a saltitar, Com um passo...
Enviado por Sedov
em 17/09/2012 19:55:00
Offline
Sedov
Já cresce a flor do silêncio no segredo dos meus lábios
Vou semear o silêncio nos meus lábios, E olhar os sinos difusos dos campanários Que badalam angús...
Enviado por Sedov
em 17/09/2012 14:51:11
Offline
Sedov
Ramo de espiga
Quero segredar às pedras, Às árvores, Às flores selvagens, Ao riacho que corre suave, Aos pássaro...
Enviado por Sedov
em 17/09/2012 10:20:56
Offline
Sedov
A cotovia não canta à sede
Embalo a planície da tua mão sobre a minha mão, Percorro-a com o arado dos meus dedos, Abro sulc...
Enviado por Sedov
em 16/09/2012 20:45:25
Offline
Sedov
Faltaste ao último cigarro [Parte 3]
[III] Mais introspectivo, Numa exaltação interna, Sentado nas escadas do cais, De olhar perdido...
Enviado por Sedov
em 15/09/2012 16:00:49
Offline
Sedov
Faltaste ao último cigarro [Parte 2]
[II] Declamei no segredo do Largo do Carmo A solidão da minha poesia E no final, senti as angú...
Enviado por Sedov
em 15/09/2012 15:56:49
Offline
Sedov
Faltaste ao último cigarro [Parte 1]
[I] Não teve conta as vezes, Que na minha frente este copo poisou, Num desafio ao esvoaçar das...
Enviado por Sedov
em 15/09/2012 15:51:41
(1) 2 3 »