https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O sopro da lua.

 
Tags:  amor    lua    desgosto    embarcação    céu.  
 
Quando a lua desvairar e em seu ímpeto expelir dos pulmões o júbilo de luz que residem em suas entranhas. Serei amada.

Quando ela, e somente ela, refletir toda a magnificência de seu olhar melancólico, pairando a uma feroz insensatez, nas ondas turvas de um mar que resiste brandamente, dançando ao ritmo frenético das ondas. Serei amada.

Quando a embarcação rasgar as águas que um dia verteram de algum espaço delimitado pelo céu e decompor a sombra abastecida pela lua. Serei amada.

Quando o reflexo que dela se espelhar na terra, recordando-a da distância em que se situa, possibilitado-a apenas a uma abstrata união. Serei amada.

Quando imediato de suas crateras, lágrimas contundentes de saudades desaguarem. Serei amada.

Quando todos os poentes lembrarem-se do ameno anoitecer com apreço, e os pontos que conduzem a embarcação se revoltarem, metamorfoseando norte e sul para um único fim, comprometendo o todo na buscar como remate o mesmo foco. Serei amada.

Quando o quando das horas ressurgirem do quão tempo pervertido e estático do passado mundo condicionar-se a atualidade, tornando a mentira escrita uma doce verdade. Serei amada.

Serei amada apenas, quando as flores fizerem-se eternamente presentes nos campos regorjeados pelo canto dos pássaros, quando a malva e a rosa possuírem o mesmo traço e a eternidade furte o definhar dos passos.

E dos encantos mil encontrar o sopro que a lua enviará em um generoso passar das horas, como suplica enquadrada em esperança, enquanto meteoros atingem o seu casco, deixando crateras de modo crasso.

O sopro da lua, a brisa branda que pairou sobre a terra com a esperança de que um dia um olhar afigurado ao seu, entenderia o recado, olharia para o céu, e avistaria a lua, que mesmo sem ter mais seu próprio encanto, iluminará.

Almejava apenas ser amada por um alguém composto, sensível o suficiente para decifrar seu rosto, enquadrando-se verdadeiramente naquele seu desgosto.

 
Autor
APScheffer
 
Texto
Data
Leituras
2737
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/02/2013 01:39  Atualizado: 15/02/2013 01:39
 Re: O sopro da lua.
Boa noite poetisa APScheffer.
Que sopro esse da lua, tão profundo e marcante na alma e no sentimento de uma vida de algum ser que fica devastado por esse confronto anunciado.


Cumprimentos,

Frank_Mike