https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sonhos e Esperma

 
Sonhos e Esperma
 
Amaram como amigos,
Como meninos,
Sabedores da fugacidade do impalpável.
E por sabê-lo, por reconhecê-lo,
Deixaram seus corpos à margem,
Livres e incoerentes para nascer
Em qualquer manhã sem prestígio.
Negaram sínteses e predicados.
Eram expedicionários do insignificante,
Além das nomenclaturas,
Aquém de relógios e explicações.
E por amar, singelos profanos,
Voltaram meninos, correndo, travessos,
Entre folhagens de um jardim libertino.

Acordaram cheirando à sonho e esperma.



Eu sou a vertente mórbida de um anjo bom. A poesia trágica, o constante inconstante, o sopro gélido de uma noite fria. Creio ortodoxamente no que duvido, abrigo extremos, escrevo poemas em meio a balas de canhão. Odeio o lirismo covarde, as frases sem ...

 
Autor
roniel.oliveira
 
Texto
Data
Leituras
726
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/03/2014 15:59  Atualizado: 30/03/2014 15:59
 Re: Sonhos e Esperma
o amor acima de tudo, convencional ou não.