https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Tragicomédia Urbana

 
Tragicomédia Urbana
 
À Antônio Variações

- Andava?
- Sim, andava com os gametas ligados
- Olhava?
- Sim, olhava as pessoas em seus palcos
- Pensava?
- Sim, pensava em acabar com sua vida concreta
- Temia?
- Sim, temia encontrar outra para algum reparo
- Comeu?
- Sim, comeu verdades com catchup
- Sorriu?
- Sim, sorriu ao saber que desentendia
- Mordeu?
- Sim, mordeu a língua enquanto refletia
- Parou?
- Sim, parou para deixar o vento passar
- Voltou?
- Sim, voltou seus olhos para a inexistência
- Sangrou?
- Sim, sangrou um poema no chão da calçada


Eu sou a vertente mórbida de um anjo bom. A poesia trágica, o constante inconstante, o sopro gélido de uma noite fria. Creio ortodoxamente no que duvido, abrigo extremos, escrevo poemas em meio a balas de canhão. Odeio o lirismo covarde, as frases sem ...

 
Autor
roniel.oliveira
 
Texto
Data
Leituras
4107
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.