https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ela...

 
Ela...
 
Lá está ela,
Magrela,
Banguela,
Cartela de comprimidos na mão.

Sente cansaço,
Mormaço,
Aço,
Espaço restrito na multidão.

Abriga leucemia,
Alergia,
Melancolia,
Taquicardia e desilusão.

Pretender morrer,
Desaparecer,
Esquecer,
Esconder no armário sua razão.

Já não a vejo,
Despejo,
Remanejo,
Realejo tocando na escuridão.

Desapareceu,
Fodeu,
Esclareceu,
Teceu sua métrica de desconstrução.


Eu sou a vertente mórbida de um anjo bom. A poesia trágica, o constante inconstante, o sopro gélido de uma noite fria. Creio ortodoxamente no que duvido, abrigo extremos, escrevo poemas em meio a balas de canhão. Odeio o lirismo covarde, as frases sem ...

 
Autor
roniel.oliveira
 
Texto
Data
Leituras
622
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.