https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

A Pena é livre!

 
A Pena é livre!
 
A Pena cobiçada do Poeta corre em versos incertos... tão certos.
Ah ilusão! Poeta ser dono da Pena.
A Pena é livre.
Ah os versos do poeta!Ela dita e ele edita.
Pena encantada!Por muitos cobiçada!
Quem não deseja ser desses versos o destino?
Ah poetas!Escravo obediente corteja sua senhora Pena.
Com ela dança com estrelas, namora a lua, se veste de sol.
Quando encontra uma musa com permissão da Pena livremente a encanta.
Encanta ate chegar ao desencanto... Poeta obediente.
Chora a musa que perdeu o que nunca lhe pertenceu.
Parte o poeta prisioneiro de sua senhora Pena.
Lindamente encantado pela possessiva senhora Pena escravizado.
Livre pelos versos acorrentados.


Su Aquino

 
Autor
SuAquino
Autor
 
Texto
Data
Leituras
701
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RayNascimento
Publicado: 13/04/2014 12:45  Atualizado: 13/04/2014 13:06
Membro de honra
Usuário desde: 13/03/2012
Localidade: Monte Roraima - Brasil
Mensagens: 6400
 Re: A Pena é livre!
O sol beija a terra e tudo que nela há
E se deita no abraço do horizonte
Acalorando com seu brilho
No trilho do infindo secreto
Veste de vermelho tudo que encontra
E o poeta faz livros esculpidos
Pela emoção e desejo...

Quisera ele (o poeta)ter domínio
Sobre sua pena que o encanta,
São letras que se molham
Na liberdade do levitar da pena
Vezes pairando no ar...

Encontra-se com
A plêiades das estrelas,
Com a tristeza e revolta do mar,
Com a imensidade da verticalidade...

As vezes escreve com letras-vivas
Molhadas com o seu próprio sangue(coração)...

Vezes com letras de argila
Na memória de um grafite diamantado...

Inda, molha de letras
Nuas perfumada de prazer
Endossadas na enseada poética...

Letras molhadas da saudade
Com a anuência do amor,
De um silêncio que restou...

E assim, o poeta escreve
Na metamorfose do existir
E se faz aprendiz do desejo
Que o move buscando na magia
O el d'ourado no esplendor do sol...

Bordando em fios d'ouro
Esculpindo em letras de mármore,
Talhando no lenhoso querer
Pintando em tela a óleo
Desenhando esboço
Para depois moldar(formatar)
O corpo-apoemado inédito...

Acorrentado em versos
Segue estando amado,
Escravo de sua própria pena
E assim...
Tanto na notívaga melodia
Ou no seu diuturno prazer
Escreve em letras tingidos
De seu coração e su'alma
Faz da mais linda poesia
Deu direito de prosseguir existindo...

Na sua solidão do "seu" momento
Ele está sempre muito bem
Acompanhado de sua musa
De todas as horas
E nela se acorrenta majestosamente
Dedicando cada momento seu
Nos braços de sua amada A POESIA
Na poeira de pétalas solares
O poeta deixa suas digitais...

Inspirado no poema
A PENA É LIVRE
da amiga e poetisa SU AQUINO
link:
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=267809

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 13/04/2014 16:32  Atualizado: 13/04/2014 16:32
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: A Pena é livre!
O Poeta se entusiasma ao primeiro rebate da sua musa, caem-lhe as palavras na alma com o orvalho matutino e delicia a sua sede pegando na pena... e aí sonham os dois.

Muito belo como sempre amiga Poeta.
bjs