Poemas : 

Uma velha história

 
Tags:  amor    peito    perfeito  
 


Não me culpe por não ter
o dom de abrandar tempestades
impetuosamente socamos nuvens
aprisionamos mares
revolucionários de um templo budista
a crista erguida, galos de briga,
esporas ferindo as perspectivas
entre você e eu, apenas um passo
que foi se distanciando.
E o amor adiado
pra um dia que fosse perfeito
ficou tão desorientado
que nunca achamos o jeito
e ficou cambaleando embriagado
pelos caminhos do meu peito.

 
Autor
chintons
Autor
 
Texto
Data
Leituras
700
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.