https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Do verbo criticar

 
Retrai-se a ventania
que vem da epifania
por se descobrir em segredo,
com a real voz sem medo,
que os porcos são poetas
os pecadores são ascetas,
as mães morrem todos os dias
e que a poesia nasce de picardias.

Depois, larga-se sem remorsos,
num furacão de ossos
capaz de matar virgens, putas
e, outras conhecidas grutas
que colhem aldrabados proveitos
de dizeres elanguescidos e provectos.

Fica-se à espera dos cacos,
daquela ladainha de fracos,
natural a quem se ilumina
com virosa pantomina.

Lá virão sempre os fraldisqueiros,
Lá se aguardam sempre os calhandreiros.


Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
583
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.