https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Surtos

 
Deitei-me lentamente, como quem vai morrer desnecessariamente cedo, morria de conclusões, ou de conclusivas. Não conseguia mais enganar meus gens e forçá-los a manter meus sinais vitais. Parecia-me, pela obviedades dos fatos, necessário, poupar, ao senhor dos destinos, mais uma milézima justificativa de continuar-me em conjunto com as universidades da vida. Mas, pela fidelidade e insistência de algo qualquer, meu espirito ainda permanece sobrevoando meu corpo.


,,,mas Deus gosta de ser assim também, na forma de Eu!

 
Autor
joakencor
Autor
 
Texto
Data
Leituras
370
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/09/2014 12:44  Atualizado: 05/09/2014 12:44
 Re: Surtos
Tem sempre algo que nos impulsiona a prosseguir!

Gostei!

Abraços,

Anggela