https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

MAGIA DE AMAR

 
Tags:  amor    paixão    magia  
 
Trago no perdido olhar a fina magia das asas
E na pele, onde lembranças flutuam, tão tuas
Os misticos sons que compõe a canção nua
Viajando pelos poros, em arrepios como brasa

Tu que me acompanhas e fez meu amago casa
No abraço que tece o laço, deixa agora que flua
A harmonia dos polos, onde o querer pactua
Um duelo de sentidos, e a força do amor abrasa

Seja então, bem mais que eterna a chama
Pois, terra fértil é o coração para quem ama
E o ser amado, a visão d'um oásis bendito

Um veio de mansa luz, porta aberta ao infinito
E eu, espirito da aurora, ante o inefável instante
Sou doces lábios a sorver da emoção inebriante

Rita São Paulo

 
Autor
RitaSãoPaulo
 
Texto
Data
Leituras
918
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
31 pontos
7
4
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/11/2014 19:12  Atualizado: 22/11/2014 19:12
 Re: MAGIA DE AMAR
parei para escutar melhor a sonoridade do poema. parabéns..


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 22/11/2014 22:52  Atualizado: 22/11/2014 22:52
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: MAGIA DE AMAR P/RitaSãoPaulo
Um toque sensitivo e sensível chegou até mim, como gostei! Belo! Vólena


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 22/11/2014 23:00  Atualizado: 22/11/2014 23:00
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: MAGIA DE AMAR
Boa noite RitaSãoPaulo!!

Seu poema se preenche de emoção e brilho.

"Um veio de mansa luz, porta aberta ao infinito
E eu, espirito da aurora, ante o inefável instante
Sou doces lábios a sorver da emoção inebriante
é flor que desabrocha pura poesia!

Gostei!

Abraços poetisa!!


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 08/12/2014 21:23  Atualizado: 08/12/2014 21:23
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29799
 Re: MAGIA DE AMAR
Afagos que se pluralizam nos instantes infinitos que vem dos horizontes uma chama que nos aquece em fulgor.

lindo poema