https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O abjecto

 
O homem perdeu as estribeiras
Quando descobriu que era feio,
Quando lhe disseram de todas as maneiras
Que era sujo e não tinha asseio.
Era, com efeito, um pedaço de zero,
Tinha nascido do lado errado da vida
E, sem dúvida, devia tempo ao desepero.
Engordava com pouca comida,
Lambuzava-se em saliva,
Não tinha estofo para senhor
E mostrava-o de forma aflitiva
Escarrando em cima de tudo... o estupor!

Valdevinoxis



Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
603
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paloma Stella
Publicado: 18/12/2006 10:40  Atualizado: 18/12/2006 10:40
Colaborador
Usuário desde: 23/07/2006
Localidade: Barueri - SP
Mensagens: 3514
 Re: O abjecto
Meu querido... vou repetir aqui.. o que ja lhe disse.

Este poema... transpassa muita anciedade... e me parece que foi escrito com uma certa fúria por dentro do peito.
Isso nos transmite a visão de um homem que existe nestes seus versos, bem rude.

Adorei muito a forma com que nos transpassou isso..

Beijinhosssss

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/12/2006 10:44  Atualizado: 18/12/2006 10:44
 Re: O abjecto
Olá...Amigo gostei deste teu poema,mas cmo ja sabes eu gsto de tdo o que escreves....
Neste transmitis te uma raiva estranha...Mas gostei



Bjo