https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

RIO DE JANEIRO.

 
Rio de Janeiro
não és mais agora
o Rio de outrora!
Teu cancioneiro
anda por aí
sem saber de ti!
Antigamente,
de tuas favelas
jorravam singelas
e lindas canções!
Presentemente,
o moderno bamba
não conhece samba
nem teus violões!
Todo o teu ar de nobreza
toda a tua poesia
se relembram na tristeza
desta brutal fantasia!
Afasta por um momento
as colmeias de cimento
e verás como era outrora:
Um jardim todo florido,
um palacete escondido
e um casal que namora.
Quem te viu e quem te vê
meu belo Rio de Janeiro!
Me desculpe, mas você,
nem parece brasileiro!!


J.Barreto.

 
Autor
karolis.br@sapo.pt
 
Texto
Data
Leituras
466
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
5
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 22/04/2015 01:38  Atualizado: 22/04/2015 01:38
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: RIO DE JANEIRO.
Re-afirmo, Karolis: ler-te mais, para aprender como é que faz ( quase rimou..hahahaha)

Meu poeta, apesar de brasileira, ainda não conheço a cidade do Rio de Janeiro. Imperdoável!

Conheces o Rio?

Versaste lindamente sobre a cidade maravilhosa, e suas românticas favelas, o morro, o samba.

Seja como for, a tua poesia chegou-me como um samba de Cartola, ou Bezerra da Silva, e o meu favorito Jorge Aragão. Parece-me ouvir a batida, e o ritmo " Quem te viu e quem te vê, meu belo Rio de Janeiro! Me desculpe, mas você, nem parece brasileiro" !!!!

Aplausos , de pé, pra ti, meu poeta!

Receba um beijo, doce e carinhoso!